(Fonte da imagem: Reprodução/Acigames)

Após a repercussão negativa que as declarações de Moacyr Alves, fundador do programa Jogo Justo, tiveram pela internet, a Acigames divulgou nesta quinta-feira (26 de abril) uma carta aberta em que tenta esclarecer a situação envolvendo o Steam. Segundo a associação, o objetivo não é atacar o sistema da Valve, mas sim proteger os interesses do mercado e dos consumidores nacionais.

Segundo a declaração publicada no site oficial da Acigames, seu objetivo é “criar formas de regulamentar a maneira como as mídias digitais são classificadas e distribuídas no Brasil por empresas estrangeiras, a fim de criar uma competição saudável promovendo oportunidades para todos, inclusive para a entrada oficial destas empresas em nosso mercado”.

A associação ressalta o fato de que não tem o poder político nem a intenção de impor ou defender novas taxas ou alíquotas sobre qualquer produto ou serviço relacionado aos games nacionais. A carta aberta afirma que a intenção é somente mostrar ao governo as oportunidades e benefícios que esse mercado pode oferecer.

Por fim, a Acigames diz que em nenhum momento foi procurada pelos veículos que, segundo ela, “tentam difamar o nome da associação e suas ações”. Ela afirma que nenhuma publicação pediu explicações ou concedeu o direito de resposta para o grupo, e todas se limitaram a simplesmente impor “suas próprias opiniões, que não refletem a atual realidade”.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: