Em entrevista coletiva realizada hoje (23), na cidade de São Paulo, o produtor-chefe de Diablo III, Alex Mayberry, adiantou mais detalhes sobre o tão esperado lançamento. Em uma sala com baixa iluminação e lamparinas que ajudavam a criar uma atmosfera mais adequada ao game, a Blizzard também exibiu vídeos inéditos que farão parte da versão traduzida para o mercado brasileiro.

Além de excelentes gráficos tridimensionais, as cenas projetadas durante a coletiva serviram para afastar um dos maiores temores que os fãs da série poderiam ter: a dublagem, que não decepcionou e se mostrou muito bem adaptada aos vídeos.

Não existe tédio no inferno

Mayberry também fez questão de ressaltar a importância da aleatoriedade durante a montagem das fases e dos desafios encontrados pelo jogador. De acordo com o produtor — que visita o Brasil pela primeira vez —, as partidas de Diablo III nunca serão as mesmas e, mesmo depois de terminar o game pela primeira vez, o  jogador terá conferido apenas metade das possibilidades que poderá enfrentar.

Modo PvP será disponibilizado após o lançamento (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A princípio, Diablo III será lançado sem o modo de Player versus Player (PvP), que ainda está sendo concluído pela equipe de desenvolvimento. Mayberry contou que a empresa não costuma trabalhar com datas fixas, preferindo focar na qualidade dos produtos e na garantia de que os recursos funcionarão com perfeição. Sendo assim, o PvP será disponibilizado logo após o lançamento do jogo, na forma de atualização (patch).

Sempre online, mas sem guildas

Outra novidade do game é a ausência das guildas, que, de acordo com Mayberry, serão deixadas de lado neste primeiro momento. Apesar disso, Diablo III requer uma conexão permanente com a internet para ser jogado e terá, inclusive, integração com outros títulos da empresa. Dessa forma, será possível, por exemplo, verificar se seus amigos estão se divertindo com outros jogos da Blizzard.

Além disso, Mayberry fez questão de frisar que, apesar de as equipes dos diferentes jogos conversarem e trocarem experiências sobre funcionalidades que foram bem sucedidas ou não com o público, os desenvolvedores têm noção de que Diablo III é um jogo completamente diferente de World of Warcraft e que um nunca influenciará diretamente no outro.

Consoles e expansões