Finalmente aquele título que você tanto esperava chegou ao mercado. Você vai correndo até a loja – muitas vezes chegando a ficar horas esperando em fila – e finalmente consegue colocar as mãos em sua tão sonhada cópia. Em casa, coloca o disco no drive, inicia o game e uma jornada de muitas horas de diversão. Ou não, caso o PC seja sua plataforma principal.

Se você utiliza o computador para jogar, com certeza já se deparou com títulos que simplesmente não funcionavam em sua máquina. Seu equipamento está de acordo com os requisitos do game, tudo está perfeitamente atualizado, mas, ainda assim, aquele maldito jogo insiste em travar logo na abertura. Mas por quê?

Ao contrário do que um teórico da conspiração possa pensar, a razão não tem nada a ver com lobby da indústria de consoles ou com possíveis “ismos” das desenvolvedoras. As razões para isso são diversas, mas, em alguns casos, podem sim ser atribuídas às desenvolvedoras.

Em segundo plano

Restos de uma era de trevas

Enquanto nos anos 90 os PCs eram a plataforma com alguns dos principais games do mercado – normalmente títulos exclusivos e clássicos absolutos – a década seguinte representou um declínio dessa indústria, com o PlayStation chamando todas as atenções para si. A chegada do Steam, porém, trouxe de volta o antigo período de glórias e auxiliou os computadores a estarem, novamente, em pé de igualdade com os consoles.

Algumas desenvolvedoras, porém, ainda carregam um pouco dessa mentalidade antiga e renegam o PC ao segundo plano, sempre privilegiando a produção de títulos para consoles. Um exemplo é a Capcom que, normalmente, lança seus títulos primeiro para os video games, marcando uma data posterior para os ports para computador.

Muitas vezes, a conversão dos títulos acaba ficando sob a responsabilidade de outra produtora e o resultado nem sempre é satisfatório. É o caso da versão de Resident Evil 4 para PCs, considerada um dos piores ports já lançados. Desenvolvida pela Ubisoft, a edição recebeu nota 69 em análise do BJ e apresenta uma total ausência de iluminação e detalhes. O suporte ao mouse também foi, inexplicavelmente, deixado de fora.

A mesma coisa se repete em outras produtoras. A solução para isso sempre vem da comunidade de fãs, que libera patches e modificações que solucionam problemas gráficos e melhoram a performance dos títulos. É um trabalho a mais para quem quer jogar seus games de forma decente nos PCs.