A Nintendo reina absoluta no mercado de consoles portáteis, mas a concorrência existe para incomodar – e assim deve ser. A Sony respondeu ao DS e ao 3DS com PSP e PS Vita, respectivamente, mas a Microsoft não chegou a dar seu parecer no mercado. Quem pensa que isso nunca passou pela cabeça dos executivos por trás da marca se engana: esse projeto existiu, mas não saiu do papel.

Robbie Bach, ex-membro do panteão da divisão Xbox, atuou ao lado de Phil Spencer. Bach revelou, ao IGN, que as considerações da Microsoft sobre um dispositivo portátil, internamente codinomeado de ”Xboy”, foram barradas por questões de limitação da internet. De acordo com o executivo, “não havia banda suficiente” para os audaciosos planos da empresa.

Simplesmente não tínhamos banda suficiente

Internet: a fronteira que impediu a existência desse aparelho. “Nós simplesmente não conseguíamos nos concentrar, não tínhamos banda suficiente. Mas definitivamente falávamos sobre isso várias vezes”, explicou o ex-chefe antes de comentar a prioridade da Microsoft à época: o Xbox 360.

“Focar no Xbox 360 era, absolutamente, a coisa certa a se fazer. Para nós, era um problema de foco, e, como pudemos ver, foi uma decisão inteligente [não fabricar um dispositivo portátil]”, contou Bach, destacando a eventual ascensão dos smartphones como plataformas de jogos.

Um “Xphone”?

Sim, foi exatamente isso que o executivo citou. Se por um lado a Microsoft foi inteligente ao não seguir adiante com a ideia de um console portátil, por outro, revela o executivo, Bach se diz “arrependido” de não ter desenvolvido um “Xphone”, isto é, um smartphone da marca focado em jogos.

Curioso, não? E você, o que acha disso? Um Xbox portátil seria um competidor à altura do PS Vita (morto) ou do 3DS (sempre vivo)? Opine na seção destinada aos comentários, descendo esta página.

Cupons de desconto TecMundo: