Áudio, imagem e dados chegam a nós de diferentes maneiras, assim como são transmitidos de várias maneiras também. Basta olhar para o gabinete de um computador para constatar o grande número de entradas de diferentes tipos. É um festival de cores e tamanhos esperando que esperam os conectores corretos.

A grande quantidade de cores e formatos de entradas indicam tecnologias distintas. Novas tecnologias surgem rapidamente. São novas maneiras para que um conteúdo cada vez mais preciso e fiel chegue aos usuários. Os novos padrões criados confundem consumidores, mas nem sempre é preciso comprar um equipamento novo em folha. Para isso, existem os adaptadores.

Os adaptadores também funcionam como solução para o aproveitamento de entradas de maneira mais eficiente, como, por exemplo, conectar fones de ouvido e caixas de som na mesma entrada. Neste artigo, você vai saber um pouco mais sobre adaptadores e as capacidades que eles dão a tantos usuários de se... adaptar - não há palavra melhor.

A necessidade de se adequar existe por um motivo simples: não há um padrão único para a transmissão de dados. Tornar apto, adequar, ajustar e conformar são algumas definições do  dicionário Aurélio para o verbo “adaptar”. E você vai ver como estes acessórios, muitas vezes minúsculos, fazem isso e muito mais para os usuários.

O que se cria, se adapta

Existem inúmeros adaptadores para as mais diversas finalidades. Uma delas é o ajuste a adaptação do gênero do cabo. Como é sabido, cabos são definidos em macho e fêmea. O primeiro é o tipo que tem os pinos, enquanto o segundo é o tipo com os encaixes correspondentes. Logo, existem adaptadores para a inversão deste padrão quando necessário.

Outro exemplo clássico é a adaptação de impressoras. Modelos mais antigos usam aquele cabo grande, cujo nome é Centronic. Com a chegada do Mini-Centronic, adaptadores entraram em ação.

Imagem

A transmissão de vídeo é, talvez, o melhor exemplo de adaptação de tecnologias. Surgem placas de vídeo e monitores com capacidade de definição cada vez maior, mas nem sempre os cabos são compatíveis. Um tipo de adaptador extensamente utilizado é o conversor de padrão de imagem.

Um conversor VGA para HDMI.Os cabos do tipo VGA são muito utilizados como padrão em monitores, mas placas de vídeo já utilizam mais o padrão DVI. Por isso, o conversor VGA/DVI é um dos mais conhecidos do público. Outras conversões possíveis incluem DVI para SVGA, DVI para Componente, e até mesmo a conversão de um cabo PC para Apple/Mac.

Utilizar um televisor como monitor, com as altíssimas resoluções possíveis, resulta em ótimas imagens e experiência diferenciadas para o usuário. Em muitos casos, é necessário utilizar adaptadores para desfrutar o computador em uma enorme TV. Um exemplo é o cabo que utiliza as saídas de áudio e vídeo do PC para se conectar à entrada RCA do televisor. A tecnologia HDMI, uma das últimas palavras em televisores, também pode ser adaptada.

As diferenças de padrão entre Europa e América também motivam a criação de adaptadores. É o caso do conversor de Pal-M (padrão europeu) para NTSC (padrão americano).

Não deixe de ler este artigo que ensina como ligar o computador em uma televisão e saiba tudo que você precisa.

Áudio

Com adaptadores, também é possível estabelecer diferentes configurações de áudio. Um exemplo clássico é o cabo P2-RCA, que pode fazer uma ponte entre um tocador e um amplificador. Lembre-se de quantos discmans não foram conectados a aparelhos de som porque nem sempre estes últimos eram capazes de ler CDs regraváveis.

Além do cabo P2-RCA, há também o adaptador P2-P2. Quem não tem o cabo só precisa plugar este adaptador no PC e conectar o cabo RCA-RCA para curtir a sonzeira em um belo aparelho estéreo.

O duplicador P2.Um plugue baratíssimo é o duplicador de P2, que cria duas saídas de áudio para dois fones diferentes. Ótimo para compartilhar música, não? Em um computador, este plugue é perfeito para ligar caixas de som e fones de ouvido na mesma entrada.

Adaptadores de áudio são mais simples. Repare que aparelhos profissionais de áudio, por exemplo, têm entrada maior para fones, da mesma maneira que há fones com pinos maiores. Para todos esses casos, existem adaptadores. Isto garante que qualquer fone que você tenha possa ser usado em qualquer aparelho.

Um exemplo interessante de adaptador de áudio exemplifica que a adaptação nem sempre envolve duas entradas diferentes. É o caso do cabo P2-P2, com duas pontas iguais, utilizado em Home Theaters e automóveis, por exemplo. Neste caso, não há a mudança de padrão, e sim o aproveitamento de entradas semelhantes.

As portas USB

Conexões do tipo USB formam um capítulo à parte quando o assunto é adaptação de tecnologia. É só parar e observar como este tipo de cabo é extensamente utilizado: pendrives, mouses, teclados, discos rígidos removíveis, alguns modelos de fone de ouvido, cabos de máquinas fotográficas. Estes são só alguns exemplos.

E fez-se a multiplicação das portas USB.O primeiro ótimo exemplo de adaptação é o Hub USB. Boa parte dos computadores contam com apenas duas portas USB. Outros, mais modernos, contam com quatro portas. Para aumentar este número, existem os Hubs USB, que são várias portas deste tipo conectadas a uma só entrada, podendo multiplicá-la por quatro ou mais vezes.

Outro acessório que pode ser muito útil é o extensor USB, que faz com que o encaixe fique melhor e mais acessível no caso de portas USB traseiras. Ainda neste grupo de adaptadores, estão os extensores retráteis, que são utilizados de acordo com a distância que é necessário percorrer.

Mouse e teclado

Quem usa e não abre mão de um teclado ou mouse com cabo PS/2 não precisa se desesperar. O USB já pode ser considerado padrão atual e placas e sistemas operacionais reconhecem estas portas como nativas. Os adaptadores resolvem estes problemas, pois convertem os cabos PS/2 de mouse e teclado para USB.

Também há conversores para impressoras e cabos do tipo serial. São cabos de modelos mais antigos, o que não significa que estãomas não extintos.

Os adaptadores Serial e USB também são bastante utilizados.

Sobrevivência adaptada

Outro exemplo perfeito da utilidade dos adaptadores são os kits de sobrevivência. São conjuntos de conectores de diferentes tamanhos para diferentes padrões. USB para mini USB e USB para entrada de rede são alguns exemplos das pontas de um kit.

Outros kits ajudam viajantes a, por exemplo, carregar um aparelho celular onde quer que esteja com a ajuda de pontas que se encaixam em diferentes fontes de energia. Até mesmo o tipo de tomada pode ser ajustado para não deixar nenhum viajante na mão.

Um kit USB para diversas finalidades.

Redes e conexões com a internet também podem ser efetivadas, ampliadas ou melhoradas com a ajuda de adaptadores para portas USB. Bluetooth e redes Wi-Fi podem ser conectadas à porta USB. Para quê? Para usar internet sem fio em um PC e sem a necessidade de uma placa específica. Ainda no contexto de redes, há também os adaptadores modulares, com uma ponta RJ11 ou 12 e outra ponta do tipo DB25.

Rede sem fio com entrada USB.

Para fanáticos por jogos

Quem disse que não é possível curtir jogos de PCs com o joystick de um PlayStation, por exemplo? É só conectar o adaptador - que tem um cabo USB - no computador e plugar o joystick. Há até mesmo modelos com duas entradas, uma para PlayStation e outra para um joystick de Nintendo 64 para curtir emuladores.

Este tipo de adaptação foi possibilitada pelo padrão USB, consolidado pela eficiência e velocidade dos aplicativos que utilizam.

Curta games no PC com o joystick do PlayStation.

Como você pode perceber, é impossível listar todos os tipos de adaptadores que existem. Estes foram apenas alguns exemplos. Também ficou claro que este tipo de acessório ajuda os usuários a remediar necessidades pequenas, mas que podem custar caro. Adaptadores economizam um bom dinheiro e evitam a troca de um equipamento inteiro ou de um acessório.

E você, caro leitor do Baixaki, quais adaptadores usa no dia-a-dia? Complemente este artigo, diga-nos como esses acessórios ajudam vocês. Esperamos ter ajudado. Até a próxima!

Cupons de desconto TecMundo: