A União Europeia irá investir US$ 900 milhões (cerca de R$ 1,8 bilhão) no desenvolvimento do laser mais poderoso do mundo na esperança de que a tecnologia seja capaz de eliminar resíduos nucleares, além de possivelmente poder oferecer novos tratamentos contra o câncer.

O projeto, intitulado “Extreme Light” (Luz Extrema) prevê a construção de dois aparelhos de laser – um na República Tcheca e outro na Romênia. Além disso, um terceiro centro de pesquisas dedicado à invenção será construído na Hungria pelo projeto.

De acordo com a previsão dos cientistas, os raios lasers do “Extreme Light” deverão ser 10 vezes mais potentes do que os melhores lasers atuais. Além disso, os novos raios deverão ser poderosos o suficiente para criar partículas subatômicas no vácuo – algo que faz com que os criadores do projeto acreditem que a invenção seja capaz de deteriorar a radiação de resíduos nucleares e de eliminar tumores cancerígenos.

Segundo o coordenador do segmento romeno do projeto, o cientista Nicolae-Victor Zamgir, a previsão é de que a equipe alcance resultados entre um e dois anos após o centro de pesquisas se tornar completamente operacional. O laser romeno será desenvolvido no centro de pesquisas de Magurele e deverá consumir 10 MW de energia energia, suficiente para 2,5 mil casas nos Estados Unidos. Toda essa energia será retirada de bombas geotérmicas que serão instaladas no local – o qual deve tornar-se completamente operacional até 2017.

Fonte: Slashgear

Cupons de desconto TecMundo: