Um novo projeto desenvolvido por um grupo de pesquisadores do MIT conhecido como Self-Assembly Lab promete trazer um conceito bastante interessante para as linhas de montagem de aparelhos eletrônicos. Isso porque, no lugar de serem montados manualmente, todos os dispositivos seriam capazes de se montarem sozinhos.

E como algo assim seria possível? Simples: com uma ajudinha dos bons e velhos magnetos.

Basicamente, cada dispositivo (no caso usado como exemplo, um celular) seria composto de uma série de componentes diferentes, como carcaça, tela, teclado e circuitos, que usariam o magnetismo para se juntarem sozinhos. Dessa maneira, não seria necessária uma enorme precisão no processo – afinal, é só deixá-los próximos o suficiente para que os ímãs façam o resto.

De fato, como é possível ver no vídeo acima, a ideia não precisa nem mesmo de muito cuidado ou de um processo mecanizado para montar cada item: basta jogar as peças dentro de um tambor giratório e deixá-lo rodar até que os componentes se juntem em um só. Para provar que é verdade, o grupo ainda mostra o celular ligando e funcionando.

Obviamente, fazer isso não é tão fácil quanto parece. Para começar, os tambores devem girar na velocidade certa: se girarem rápido demais, as peças se soltam sozinhas; já se forem lentos demais, as peças não chegam a se encontrar para a montagem. Além disso, os componentes são projetados de maneira a só poderem se encaixar na posição certa. Dito isso, o resultado sempre vai ser os aparelhos montados.

É claro que, no fim das contas, ainda há um longo caminho até que essa ideia possa realmente entrar em prática. Afinal, é difícil imaginar os smartphones de hoje sobrevivendo aos “maus-tratos” de serem jogados dentro de um tambor – ainda mais com os componentes frágeis e que pedem uma extrema precisão para serem montados. Mesmo assim, o potencial é enorme.

Cupons de desconto TecMundo: