(Fonte da imagem: Reprodução/DVICE)
A DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) está com um projeto audacioso para ajudar a transformar mergulhadores militares americanos em quase super-heróis dentro da água. No caso, a agência visa usar e desenvolver tecnologias capazes de dar mais segurança e mobilidade em grandes profundidades.

Mergulhar é um processo cheio de regras que visam a segurança dos praticantes. Atitudes como calcular previamente a profundidade e o tempo do mergulho, além de subir lentamente para permitir que o gás pressurizado seja exalado antes que ele fique crítico, são necessárias para que coisas realmente ruins não aconteçam — afinal, a alta pressão da água agindo sobre o corpo é algo bastante perigoso para qualquer pessoa.

Para os militares, mergulhar em grandes profundidades é muito mais que um simples hobby e, por isso, eles precisam realizar atividades ainda mais perigosas embaixo da água. Pensando neste quadro, a DARPA está procurando maneiras de usar a tecnologia de forma a deixar os mergulhadores mais seguros e resistentes — mesmo que isso envolva se locomover em um local de grande pressão. Algumas das principais propostas repassadas pela DARPA para 2013 foram:

  • Inserção militar via queda livre de 35 mil pés de altitude;
  • Mergulho de combate a até 200 pés abaixo do nível do mar por, pelo menos, 120 minutos.
  • Ir para a superfície e começar imediatamente um segundo mergulho, aumentando a profundidade de 200 pés por pelo menos 20 minutos sem a necessidade de descompressão.

Além dessas, outras propostas a serem estudadas e criadas pela DARPA seriam consideradas loucas em mergulhos normais — mas nada que militares treinados e com tecnologias de ponta não poderiam fazer.

Cupons de desconto TecMundo: