iPads: entre os mais difíceis de reparar (Fonte da imagem: Reprodução/King Computer UK)

Já é tradição no mundo da tecnologia aguardar uma avaliação do iFixit assim que um gadget importante é lançado. A empresa especializada em vender peças de aparelhos tecnológicos monta e desmonta os dispositivos para lançar guias de reparação, e também faz uma análise de todo o processo.

Baseado em toda a sua experiência, a empresa californiana resolveu lançar uma espécie de índice de reparabilidade dos tablets. E na ponta desta lista está o quase desconhecido Dell XPS 10, o dispositivo mais fácil de reparar segundo os engenheiros da empresa, que ficou com a nota 9 (numa escala de 0 a 10, em que 10 é considerado mais fácil de reparar).

Outro destaque da lista é o Kindle Fire, que ficou em segundo lugar por ser fácil de abrir e contar com parafusos e design simples. Entre os tablets equipados com Android mais populares que encabeçam a lista, estão o Motorola Xoom e o Galaxy Tab 2 7.0, ambos empatados com a nota 8. Confira o ranking:

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/iFixit)

Os mais difíceis de consertar

Já o final do índice é dominado pelos tablets da Apple. As versões 2, 3, 4 e Mini ganharam a mesma nota (2), devido a questões como “quantidade excessiva de adesivos” e “grande chance de quebra de vidro durante a desmontagem”.

O lanterninha da lista é o Surface Pro, o primeiro tablet lançado pela Microsoft, que conseguiu obter a nota mínima (1). Sua posição foi determinada devido a “toneladas de adesivo” e o risco de cortar os cabos do monitor assim que o dispositivo é aberto.

Neste índice criado pela iFixit, um dispositivo com uma pontuação máxima será relativamente barato para reparar, porque é fácil de desmontar e tem um manual de serviço disponível. A pontuação usa como base a dificuldade de abrir o tablet, os tipos de parafusos encontrados no interior, e a complexidade que envolve a substituição de componentes principais. 

Cupons de desconto TecMundo: