Ao que parece, além de distribuir a nata da música para um público que gosta de ter uma trilha sonora para cada momento do seu dia, o Spotify também pode estar servindo de base para a propagação de alguns malwares. Segundo relatos nas redes sociais e no fórum da própria empresa, a versão gratuita do serviço para desktops tem exibido anúncios que fazem o seu navegador abrir uma série de links maliciosos da internet. O pior? Sem que você tenha que clicar no banner ou mesmo autorizar a operação.

Esse comportamento suspeito foi notado pelos usuários nas primeiras horas desta quarta-feira (5) e, embora em um primeiro momento possa parecer ter sido um caso isolado, bastou que o pessoal do Twitter trocasse figurinhas na rede para que a realidade ficasse evidente: a história era muito mais grave e ampla do que se imaginava. Instantaneamente, o episódio remeteu a outro momento semelhante na história da companhia, ocorrido em 2011, no qual o Spotify precisou se desculpar publicamente por veicular propagandas nocivas.

Para se livrar de uma situação assim, vale o preço da assinatura Premium, hein?

No entanto, antes que a empresa pudesse investigar o caso devidamente, o assunto começou a tomar proporções gigantescas na web, principalmente quando se descobriu – poucas horas depois das primeiras mensagens debatendo o tema – que a ameaça não estava restrita a usuários do Windows 10. Conforme ficou claro na troca de tweets – que você pode conferir abaixo –, adeptos de macOS e até de Ubuntu, uma distribuição de Linux, foram afetados pelo problema.

"Aviso Público: desinstalem o Spotify Free, os anúncios dele estão infestados com malwares agora."

"Um malware no meu Ubuntu ficava abrindo anúncios aleatórios no meu navegador a cada minuto. Felizmente, o cliente do Spotify foi fácil de desinstalar."

"Ontem, o Spotify Free começou a iniciar sozinho um malware no Safari do meu Mac. Muita gente está tendo esse mesmo problema no momento"

Felizmente, o Spotify foi rápido no gatilho e o caso parece já estar resolvido. Em comunicado enviado ao site The Next Web, a companhia afirma que identificou a página responsável pelo anúncio malicioso e que a peça foi completamente eliminada do rol de parceiros do serviço de streaming. A promessa de que eles vão ficar de olho na situação ao longo das próximas semanas deve garantir que anunciantes espertinhos não se aproveitem da situação e que você não sofra com algo semelhante por um bom tempo.

Cupons de desconto TecMundo: