5 dicas de Cibersegurança para ter na vida digital

Conheça hábitos que garantem camadas adicionais de segurança nos seus aparelhos e reduzem as chances de ser vítima de golpes virtuais

Ao mesmo tempo que tecnologias de acesso virtual e navegação ficam mais modernas, com cada vez mais redes sociais, smartphones com alto poder de processamento e modalidades de transferência bancária imediatas, as ameaças digitais também evoluem.

Muito além de vírus em anexos de e-mail ou downloads de músicas, a vida digital contemporânea é marcada por perigos dos mais variados tipos, desde ferramentas que invadem a sua privacidade até golpes que só precisam de um bom papo para funcionar.

A boa notícia é que as ferramentas de segurança também evoluem em um ritmo acelerado.

Isso significa que é possível ter uma proteção versátil e completa nos seus dispositivos eletrônicos, seguindo dicas de cibersegurança valiosas e tendo ao seu lado plataformas que protegem a sua identidade e a integridade dos seus arquivos.

Com hábitos simples que você conhece a partir de agora, é possível transformar o ambiente digital do cotidiano em uma fortaleza difícil de ter as defesas invadidas.

Confira abaixo como você pode praticar a cibersegurança no seu dia a dia e evitar ameaças digitais.

Videos sobre o assunto

Reproduzir vídeo

Assista

Episódio 1

Como evitar que clonem seu WhatsApp (e outras contas)

Mais episódios

VPN

Uma das formas de se manter protegido durante a navegação é mascarar parcialmente a sua identidade na internet.

Nos aplicativos de serviços de redes privadas virtuais (VPNs), um novo endereço de IP é atribuído para a sua sessão online, agindo como um intermediário entre o seu dispositivo e os servidores acessados.

Isso garante o seu anonimato na rede, já que esse novo IP pode ser posicionado em diferentes partes do mundo e não entrega para servidores ou operadoras as informações normalmente enviadas durante a navegação.

Além disso, essa conexão é quase sempre criptografada, com dados que não podem ser rastreados ou lidos por terceiros, o que também amplia a sua privacidade.

As VPNs também protegem dispositivos contra algumas modalidades de golpes, especialmente se você estiver em uma conexão sem fio pública, como o Wi-Fi de um aeroporto ou restaurante, por exemplo.

Ela pode ser utilizada não apenas no PC, através de extensões para o navegador, mas também em celular, que possuem aplicativos próprios para isso, tornando sua navegação mais livre e segura.

Alguns navegadores já tem uma VPN embutida, o que facilita o processo.

Antivírus

Os antivírus são os programas mais tradicionais quando o assunto é proteção digital e, ainda hoje, continuam importantes e em constante evolução para garantir uma camada a mais de segurança em seus dispositivos.

Antivírus são plataformas completas e cheias de recursos que realizam múltiplas funções de uma só vez.

Isso inclui realizar escaneamentos frequentes e personalizados no sistema em busca de arquivos suspeitos, manter a conexão protegida via firewalls, impedir o acesso a sites nocivos e proteger arquivos pessoais contra-ataques diretos.

Além disso, esses serviços são constantemente aprimorados com uma biblioteca cada vez mais atualizada.

Assim, os antivírus são capazes de detectar até as ameaças mais recentes em termos de cibercrimes, identificando não apenas espaços de vulnerabilidade, softwares desatualizados e arquivos maliciosos ou suspeitos, mas também vírus, malwares ou spywares mais sofisticados.

Eles ainda são ferramentas de cibersegurança versáteis, desde as já completas versões gratuitas para uso individual, seja no computador, seja no celular, quanto serviços mais encorpados para o ambiente corporativo.

Mecanismos contra rastreamento

Durante a navegação, você está constantemente fornecendo informações para uma série de servidores — seja ao acessar um novo site, clicar em resultados de busca, realizar um cadastro ou clicar em anúncios.

Esses hábitos podem trazer preocupações válidas sobre privacidade, especialmente pelo uso de rastreadores de navegação.

Tais serviços até começam com uma boa intenção, que é melhorar a experiência do usuário e trazer conteúdos personalizados aos seus interesses, mas em alguns casos eles acabam sendo utilizados de forma criminosa.

Isso ocorre porque a enorme quantidade de informações adquirida não só registra seus hábitos online, mas também pode ser capaz de identificar a origem de um usuário.

Isso amplia a exibição de anúncios danosos ou não solicitados e até facilita a aplicação de outros golpes, como a instalação de programas espiões (spywares) e roubo de informações.

Os mecanismos de cibersegurança que combatem essas práticas e prezam pela segurança de dados são os anti-tracking.

Eles são capazes de reduzir a coleta das informações na internet e impedir que o seu perfil de usuário seja traçado por anunciantes ou criminosos em potencial.

Esse tipo de ferramenta para segurança digital pode ser usado em conjunto com outras formas de proteção, como a VPN, além de um navegador seguro e focado em privacidade.

Atualizações constantes de sistema

Além de ferramentas especializadas em cibersegurança, existe outra ação bastante simples e muitas vezes ignorada, mas muito importante para manter um dispositivo protegido: manter as atualizações sempre em dia.

Aceitar e aguardar as atualizações do sistema operacional podem não parecer grandes ações, já que boa parte das mudanças acontecem nos bastidores.

Porém isso é essencial para que você não seja vítima de novos ciberataques que explorem brechas de segurança.

Equipamentos desatualizados podem não estar protegidos contra novas formas de ransomware ou invasões de execução de código remoto, por exemplo, sendo mais facilmente invadidos.

Essas atualizações normalmente corrigem vulnerabilidades que foram recém-descobertas pela empresa responsável — e que talvez já são usadas por criminosos nos chamados ataques do dia zero (ou zero-day exploits).

Assim, você deve agir desse modo com todos os dispositivos, desde o computador até sensores e eletrodomésticos inteligentes.

Vale lembrar que vários modelos mais antigos de eletrônicos acabam perdendo o suporte da empresa depois de um tempo, o que também significa o fim de atualizações de segurança.

Nesses casos, talvez seja melhor trocar o dispositivo por um modelo moderno e devidamente protegido ou aumentar ainda mais as barreiras de proteção digital.

Um exemplo marcante disso é o sequestro de dados do Sistema de Saúde do Reino Unido (NHS), da gigante espanhola Telefônica e outras empresas, em 2017, pelo ransomware WannaCry.

Ele explorava uma falha no sistema de segurança do Windows XP e do Server 2003, utilizado nas empresas afetadas, que não eram mais suportados pela Microsoft na época.

Além do caos instaurado pelo roubo dos dados, a falha também resultou em prejuízo financeiro desnecessário aos envolvidos.

Educação digital

Mesmo com uma proteção digital complexa em termos de aplicativos e com um sistema devidamente atualizado, ainda é possível ser vítima de alguns golpes digitais que não utilizam tecnologias complexas para se infiltrar no seu computador. 

É a chamada engenharia social, uma técnica que envolve a manipulação por parte do cibercriminoso, normalmente disfarçado de um funcionário de empresa e prestador de serviços ou um contato próximo, como parentes e amigos.

A partir de um bom papo, simpático e que passa credibilidade, o criminoso pode ser capaz de obter informações sigilosas e dados pessoais, levar você a clicar em um endereço potencialmente danoso ou até aplicar golpes bancários, como realizar empréstimos e transferências rápidas em plataformas como o WhatsApp.

E como se proteger desse tipo de ameaça cibernética? Nesses casos, educação digital é o “melhor remédio” — e ela não envolve conhecimentos avançados de tecnologia, mas sim a boa e velha intuição.

Pensando duas vezes antes de qualquer clique, é possível evitar essas dores de cabeça.

O primeiro passo da educação digital é saber como identificar golpes e crimes em potencial.

Isso inclui não apenas se informar constantemente sobre novas ameaças nas redes digitais, mas também desconfiar de promoções boas demais para serem verdade e de mensagens, bem como de e-mails suspeitos que levam ao download ou acesso a endereços suspeitos.

É o caso do phishing, forma de golpe que rouba credenciais de acesso disfarçado de uma página verdadeira, como um site de banco ou rede social. 

Além disso, tome cuidado com pessoas que solicitam via telefone ou mensageiros uma série de informações privadas e se passam por um suposto funcionário da sua operadora para pedir detalhes do cartão de crédito, algo que não é realizado por esses canais.

Como você percebeu, apesar de existirem tantos riscos no uso de seus dispositivos eletrônicos favoritos, é bem possível ter uma vida digital mais tranquila e segura com uma boa dose de atenção e as ferramentas de cibersegurança certas.

Aos poucos, esses hábitos passam a fazer parte da sua rotina — e a sua navegação ganha camadas de segurança contra as principais ameaças digitais do momento.

Confira o antivírus gratuito Avast

Avast Protect

Free Antivírus

Plataformas VER INFORMAÇÕES

Grátis

BAIXAR