Um pesquisador de segurança de 24 anos chamado Zammis Clark admitiu ter hackeado a Microsoft e a Nintendo. Segundo o The Verge, Clark assumiu a invasão aos servidores e o roubo de 43 mil arquivos internos da Microsoft com versões ‘Beta’ do Windows, além de 2.365 nomes de usuário e senhas registradas na Nintendo.

A Microsoft teve custo de até US$ 2 milhões em danos, e a Nintendo de até US$ 1,8 milhão

Clark admitiu o crime em Londres durante julgamento; o hacker respondia por mau uso de computador e, ao assumir o crime, escapou da prisão — mas recebeu ordem grave de prevenção de criminalidade por um período de cinco anos, com multa ilimitada e até cinco anos de prisão, se violada.

Após conseguir acesso remoto à rede da Microsoft via web shell durante três semanas, Clark compartilhou a descoberta em um chat IRC com outros hackers, o que aumentou o ataque aos servidores da Microsoft. Isso aconteceu em 2017 e o jovem foi preso na época, mas pagou fiança. Pouco tempo depois, em março de 2018, Clark acessou servidores de desenvolvimento de jogos da Nintendo via VPN.

Segundo os processos, a Microsoft teve custo de até US$ 2 milhões em danos, e a Nintendo de até US$ 1,8 milhão.

Cupons de desconto TecMundo: