Atrações turísticas de Londres estão sendo bombardeadas por ataques cibernéticos, segundo pesquisa da Freedom of Information (FOI). Entre elas, estão o Museu de História Nacional, Kew Gardens, Galeria Tate e Museu da Guerra Imperial.

A FOI acredita que os cibercriminosos estão atrás dos dados financeiros de visitantes. Foram registrados 109 milhões de ataques no total, sendo 86 milhões apenas no Kew Gardens. Um aumento de 438% ano após ano.

Os hackers estão cada vez mais visando organizações que parecem manter grandes quantidades de dados financeiros

Dos ataques registrados, 82 milhões são alguma forma de spyware, usados para espionar e pegar dados de visitantes, que tiveram sucesso em 1.6 milhão dos casos.

"Os hackers estão cada vez mais visando organizações que parecem manter grandes quantidades de dados financeiros pessoais", disse Tim Dunton, diretor da Nimbus Hosting ao TechRadar. “O alto volume de ataques neste caso reflete a ameaça representada pelos criminosos que chegam a extremos para obter informações confidenciais. Enfrentar esse problema significa investimento extra em tecnologias de criptografia, certificados de segurança e salvaguardas necessárias para manter os dados da assinatura a salvo de ameaças externas”.

Cupons de desconto TecMundo: