Facebook ‘não liga’ para trabalho de agências de checagem de notícias

1 min de leitura
Imagem de: Facebook ‘não liga’ para trabalho de agências de checagem de notícias
Avatar do autor

Um relato do The Guardian indica que jornalistas de agências de checagem estão querendo encerrar a parceria realizada com o Facebook. Chamando a parceria de “controversa”, os profissionais afirmam que a companhia de Mark Zuckerberg ignora as preocupações no que toca notícias falsas e também falha em combater a desinformação.

Jornalistas que já trabalharam para o Facebook e profissionais que ainda atuam deixaram claro ao The Guardian que a força tarefa de checagem produziu resultados mínimos. Ainda, que eles perderam a confiança no Facebook — principalmente após a empresa se negar a divulgar dados significativos sobre os impactos do trabalho.

"Eles estão mais interessados em parecer bem e passar o dinheiro... Eles claramente não se importam", disse a jornalista

A crítica vai além: o Facebook estaria contratando funcionários de uma empresa de relações públicas “que usava uma narrativa antissemita para descreditar críticos e jogar gasolina sobre propagandas falsas”.

Brooke Binkowski, ex-editora do site de checagem Snopes, disse que o Facebook usou os jornalistas apenas para rebater uma crise de imagem — a empresa se viu recheada de problemas que vão desde problemas com funcionários, mau uso de dados até vazamento de informações de usuários da rede social. “Eles não estão levando nada a sério. Eles estão mais interessados em parecer bem e passar o dinheiro... Eles claramente não se importam”, complementou.

Um jornalista que atualmente trabalha para o Facebook, então obviamente necessita ficar anônimo, comentou o seguinte: “Por que devemos confiar no Facebook quando ele está empurrando os mesmos rumores de que seus próprios verificadores estão chamando notícias falsas? Vale a pena perguntar como eles tratam as histórias sobre George Soros na plataforma sabendo que eles pagam especificamente às pessoas para tentar ligar os inimigos políticos a ele?".

Em resposta ao The Guardian, o Facebook afirmou em comunicado que "ouviu o feedback de seus parceiros”, acrescentando que começou a enviar "relatórios trimestrais" com "estatísticas personalizadas" para parceiros e sque estaria “procurando mais estatísticas para compartilhar externamente no início de 2019".

Categorias

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Facebook ‘não liga’ para trabalho de agências de checagem de notícias