Desde o começo de maio de 2018, a concessionária da linha amarela do metrô de São Paulo Via Quatro instalou portas interativas digitais nas estações Luz, Pinheiros e Paulista. Por causa disso, sem escolha, o cidadão entrega dados pessoais no metrô de São Paulo diariamente: as portas filmam os rostos de passageiros e adivinham emoções sentidas no momento — entre elas, “adulto feliz”, “jovem triste”, “mulher com raiva”. A ideia é que isso ajude a categorizar os usuários e o metrô possa exibir propagandas de maneira eficiente.

A Justiça de São Paulo obrigou a Via Quatro a adesivar as câmeras das ‘portas interativas digitais’ para impedir coleta ilegal de dados

Segundo a Justiça de São Paulo, a coleta desses dados está com os dias contados. Após ação do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), ao lado de outras entidades, a Justiça decidiu que a Via Quatro deve adesivar as câmeras presentes nas “portas interativas digitais”.

“Boa notícia! Graças à ação do @idec, Justiça de São Paulo obrigou ViaQuatro a adesivar as câmeras das ‘portas interativas digitais’ para impedir coleta ilegal de dados. Ordem foi cumprida na madrugada de 03 de outubro”, escreveu Rafael Zanatta, coordenador de direitos digitais do Idec, uma das entidades que assinaram a ação.

A ação surgiu após uma Ação Civil Pública aberta em agosto deste ano — e você pode entender todos os detalhes clicando aqui.

Cupons de desconto TecMundo: