O Ministério Público de São Paulo abriu uma ação na última quarta-feira (12) contra o youtuber Júlio Cocielo por racismo, afirma a Jovem Pan. O MP, por meio dos promotores de Justiça de Direitos Humanos Eduardo Valério e Bruno Orsini Simonetti, acredita que Cocielo deva pagar mais de R$ 7 milhões por dano social coletivo no caso Mbappé. Além disso, os promotores solicitam a quebra do sigilo bancário do youtuber.

O Ministério Público de São Paulo afirma que o youtuber Cocielo publica comentários racistas "de forma sistemática" em redes sociais

No mês de julho, durante a Copa do Mundo de 2018, Júlio Cocielo tweetou um comentário sobre o jogador Kylian Mbappé, da seleção francesa. No caso, Cocielo afirmou que Mbappé "conseguiria fazer uns arrastão (sic) top na praia". Na época, o tweet levantou uma discussão sobre racismo na internet.

Os promotores comentaram o seguinte sobre o caso: “Trata-se de um jovem jogador negro, francês de ascendência camaronesa, de compleição física robusta e que mostrou, nos jogos da seleção francesa na Copa da Rússia, impressionantes velocidade e explosão, daí advindo, em notória manifestação de racismo, a sua associação com os assaltantes (negros, na ótica do autor) que praticam crimes de roubo nas praias brasileiras, sobretudo fluminenses, sempre sob contínua e desabalada corrida”.

Além deste comentário em questão, o Ministério Público de São Paulo afirma que o youtuber Cocielo publica comentários racistas "de forma sistemática" em redes sociais — chegando a apagar mais de 50 mil tweets antigos após uma exposição online. No processo, o MPSP afirma que "ele utilizou a rede social para violar direitos fundamentais, além de ofender e violar os direitos humanos, a Constituição Federal e Tratados Internacionais”.

Cupons de desconto TecMundo: