A Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) coletou mais de 534 milhões de telefonemas realizados em solo norte-americanos durante 2017. Esse número é três vezes maior do que o coletado em 2016, durante o último ano do ex-presidente Barack Obama — e isso poderia indicar uma mudança nas políticas de segurança trazidas pelo atual presidente Donald Trump.

Segundo a Reuters, um relatório da NSA revelou que a agência "tem sido implacável" em sua busca por ligações e mensagens de texto trocadas por cidadãos. Esses dados teriam sido puxados de operadoras, como a Verizon e a AT&T.

Esses "simples" metadados já oferecem a possibilidade de um agente descobrir detalhes da vida de uma pessoa

Os metadados recolhidos pela NSA, contudo, não revelam o conteúdo explícito da conversa. Por outro lado, a agência consegue detalhes sobre quais números estavam conversando, o horário do contato, o tempo de duração do contato e até quantos caracteres foram trocados nas mensagens de texto.

Como o GizUS notou, esses "simples" metadados já oferecem a possibilidade de um agente descobrir detalhes da vida de uma pessoa — basta parear com informações públicas de redes sociais e um pouquinho de engenharia social. Vale notar que, desde 2015, o Ato de Liberdade limita as capacidades de espionagem da NSA: eles precisam de uma autorização judicial para a coleta de dados.

Segundo Timothy Barrett, porta-voz do escritório responsável pelo relatório da NSA, "o governo não alterou a maneira como usa sua autoridade para obter registros detalhados das chamadas"

Cupons de desconto TecMundo: