Você pode até não gostar dos produtos da Samsung, mas é inegável que os celulares da empresa continuam entre os modelos mais esperados a cada lançamento. Para 2015, além do Galaxy S6, a empresa decidiu disponibilizar entre os seus tops de linha o Galaxy S6 Edge, um aparelho que conta com praticamente as mesmas configurações, mas traz uma tela com bordas curvadas como diferencial.

Além do acabamento com materiais premium, o novo smartphone da empresa apostou em recursos exclusivos e que prometem facilitar a vida do consumidor no dia a dia. O preço, infelizmente, acompanhou as melhorias e o Galaxy S6 Edge chega ao mercado em duas versões, com preços oficiais variando entre R$ 3.799 e R$ 4.299.

Será que vale a pena gastar tanto assim para ter um smartphone como esse no seu bolso? O TecMundo testou mais essa novidade e detalha agora para você tudo sobre o Samsung Galaxy S6 Edge. Nesta superanálise, utilizamos dois modelos de Galaxy S6 Edge: a versão na cor azul foi cedida por empréstimo pela Samsung. Já a versão na cor dourada foi cedida pela loja Cissa Magazine.

Samsung Galaxy S6 Edge - Especificações

DESIGN

Basta olhar para o Galaxy S6 Edge para perceber que design é o principal diferencial do aparelho. A novidade são as bordas curvadas, tanto na lateral esquerda quanto na direita. Essa característica faz com que você possa usar algumas funções especiais em qualquer um dos lados.

O acabamento do aparelho é exatamente o mesmo do Galaxy S6, com metal nas laterais e tampa traseira de vidro, com proteção Gorilla Glass 4. Ela não é removível e também não há entrada para cartão micro SD. Entretanto, as bordas curvas sacrificam a ergonomia. Em nossa redação, 9 entre 10 pessoas acharam desconfortável manusear o produto. Com isso, toques acidentais na borda lateral ou mesmo pressionar o botão power sem querer acabam se tornando rotina.

Disponível em quatro cores, o Galaxy S6 Edge é sem dúvida um aparelho belíssimo em termos de design. A versão dourada, por exemplo, parece uma barra de ouro e é pura ostentação. Se você considera esse fator um diferencial primordial e está disposto até a sacrificar um pouco da usabilidade por conta disso, esse é o aparelho perfeito para o seu bolso.

HARDWARE

Testes de benchmark

Para a realização desta análise, submetemos o Samsung Galaxy S6 Edge a cinco aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5, Basemark X, GFX Bench (T-Rex HD Off Screen e T-Rex HD On Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal).

Para efeito de comparação, enfrentaram os mesmos testes os seguintes smartphones: Sony Xperia Z3, Novo Moto X, LG G4, OnePlus One, Moto Maxx, HTC One (M8), Samsung Galaxy S6, Samsung Galaxy Note 4, Apple iPhone 6 e Apple iPhone 6 Plus. O resultado de cada um dos testes, bem como o significado das pontuações, você confere no quadro abaixo. Clique nos nomes para visualizar o teste.

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs de aparelhos com sistemas diferentes. Desse modo, fatores como resolução do display não afetam o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

  • Samsung Galaxy S6 Edge – 22.046
  • Samsung Galaxy S6 – 21.846
  • Samsung Galaxy Note 4 – 19.680
  • Motorola Moto Maxx – 21.238
  • Motorola Novo Moto X – 19.436
  • OnePlus One – 18.996
  • Apple iPhone 6 Plus – 17.846
  • Apple iPhone 6 – 17.493
  • Sony Xperia Z3 – 17.178
  • LG G4 – 18.463

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 5 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

  • Samsung Galaxy S6 Edge – 69.997
  • Samsung Galaxy S6 – 62.741
  • Samsung Galaxy Note 4 – 48.685
  • Motorola Moto Maxx – 47.137
  • Motorola Novo Moto X – 43.893
  • OnePlus One – 44.603
  • Apple iPhone 6 Plus – 49.807
  • Apple iPhone 6 – 49.118
  • Sony Xperia Z3 – 39.348
  • LG G3 – 48.069

Basemark X

O Basemark X tem como foco principal mensurar a qualidade gráfica dos dispositivos. Baseado na engine Unity 4, o app aplica testes de alta densidade, mostrando qual dos aparelhos se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

  • Samsung Galaxy S6 Edge – 38.612
  • Samsung Galaxy S6 – 38.758
  • Samsung Galaxy Note 4 – 29.372
  • Motorola Moto Maxx – 31.537
  • Motorola Novo Moto X – 25.412
  • OnePlus One – 25.665
  • Sony Xperia Z3 – 24.492
  • LG G4 – 24.921

GFX Bench (T-Rex HD Offscreen)

O GFXBench é um aplicativo de testes multiplataforma que analisa o poder de processamento gráfico e computacional dos aparelhos. A API gráfica utilizada é o OpenGL ES e os testes se dividem em várias categorias diferentes. Para que seja possível comparar aparelhos de sistemas diferentes utilizamos os testes sinalizados como “offscreen”, em que a resolução de todos os testes é travada em 1080p internamente. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

  • Samsung Galaxy S6 Edge – 59
  • Samsung Galaxy S6 – 58
  • Samsung Galaxy Note 4 – 37,7
  • Motorola Moto Maxx – 42,1
  • Motorola Novo Moto X – 27,5
  • OnePlus One – 28,2
  • Apple iPhone 6 Plus – 44,3
  • Apple iPhone 6 – 42,6
  • Sony Xperia Z3 – 27,6
  • LG G4 – 35

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

HTML5

  • Samsung Galaxy S6 Edge – 6.642
  • Samsung Galaxy S6 – 5.034
  • Samsung Galaxy Note 4 – 4.679
  • Motorola Moto Maxx – 3.792
  • Motorola Novo Moto X – 3.477
  • OnePlus One – 3.146
  • Sony Xperia Z3 – 2.796
  • LG G3 – 4.227

Metal

  • Samsung Galaxy S6 Edge  – 2.638
  • Samsung Galaxy S6 – 2.663
  • Samsung Galaxy Note 4 – 1.846
  • Motorola Moto Maxx – 1.796
  • Motorola Novo Moto X – 1.656
  • OnePlus One – 1.586
  • Sony Xperia Z3 – 1.555
  • LG G4 – 2.314

DESEMPENHO

As configurações de hardware do S6 Edge são exatamente as mesmas do Galaxy S6. Porém, curiosamente, o aparelho se saiu bem melhor nos testes de benchmark, o que indica que pode ter sido feito um trabalho melhor de otimização entre software e hardware aqui. Entretanto, no uso diário a diferença para o Galaxy S6 não é significativa. Os dois aparelhos são os mais potentes que já passaram pela redação do TecMundo e rodam qualquer aplicativo da Play Store sem engasgos ou travamentos.

Jogos pesados, aplicativos de redes sociais, recursos de multitarefa com dois apps abertos de forma simultânea e transição entre um app e outro: tudo isso rodou de forma satisfatória e não temos absolutamente nenhum ponto negativo digno de menção nesse quesito. Para quem se preocupa com eventuais problemas de aquecimento, em nenhum momento a temperatura passou dos 40º, valor que pode ser considerado normal.

Em resumo: se você for escolher pela potência, tanto o Galaxy S6 quanto o Galaxy S6 Edge são equivalentes. E, certamente, nenhum dos dois vai deixar você na mão.

TELA

Assim como no Galaxy S6, a tela Super AMOLED de 5,1 polegadas no S6 Edge é um show à parte. Sem dúvida, o display é um dos melhores disponíveis no mercado e proporciona imagens com alto contraste e cores nítidas. Com as luzes apagadas, filmes e séries parecem mais nítidos, o que resulta em belas imagens. Aliás, visualizar conteúdos em um display com bordas curvas dá um charme especial às imagens.

Entretanto, sob a luz do sol ou em ambientes muito iluminados o índice de reflexos sobre a tela é bastante alto. Isso acontece porque é praticamente impossível de não encontrar um ponto em que as bordas curvas não reflitam alguma luz. O resultado final não prejudica o uso, mas é bastante perceptível.

Os recursos específicos do Edge funcionam mais como um truque para impressionar os amigos do que como ferramenta indispensável. É possível receber notificações, visualizar a hora ou conferir a previsão do tempo sem a necessidade de ativar a tela principal. Para isso, basta deslizar o dedo de cima para baixo e de baixo para cima para ativar o recurso.

BATERIA

Em nossos testes o desempenho foi apenas razoável e, em alguns momentos, inferior ao do Galaxy S5. Em uso moderado o celular aguentou bem um dia normal de uso. Saindo de casa às pela manhã e retornando à noite, a carga se manteve entre 15 e 25%, um número regular, mas que poderia ser melhor para um top de linha. Já para um uso mais intenso, não há como não ter um carregador sempre por perto.

Em relação ao S6, o resultado é praticamente o mesmo. A capacidade de carga do Edge é de 50 mAh a mais, mas no uso você a diferença é imperceptível. Por fim, vale mencionar o sistema de recarga rápida, que é capaz de levar o aparelho de 0 a 50% de carga em apenas 30 minutos.

ÁUDIO

Nesse quesito, o aparelho também é idêntico ao Galaxy S6. Provavelmente você está diante de um dos melhores fones de ouvido já disponibilizados juntamente com um celular no mercado. O fone de ouvido da Samsung é emborrachado e se mostra bastante anatômico.

O mesmo não se pode dizer do speaker. Ele não é estéreo, e pode ser considerado apenas razoável. Com o volume configurado no máximo, o som se mostra agudo, porém levemente distorcido e com alguns chiados.

CÂMERA

A câmera é mais um aspecto em que tanto faz escolher um Galaxy S6 ou um Galaxy S6 Edge. Com 16 megapixels e uma abertura de f/1.9, a câmera Edge traz opções de ajustes manuais de itens como ISO, exposição e foco manual. A utilização, entretanto, é um pouco mais restrita do que a presente nos softwares dos smartphones LG G4 e Lumia 930, por exemplo.

O resultado de tudo isso está entre os melhores que já vimos na câmera de um smartphone. Fotos nítidas, com baixo índice de ruídos e com balanço de cores bastante adequado. Ver as imagens na tela Super AMOLED do aparelho também valoriza a qualidade final, mas mesmo quando passamos as fotos para o PC o resultado ainda pode ser considerado acima da média.

A câmera frontal, com 5 megapixels de resolução, suporta ainda o modo HDR, o que garante imagens com melhor definição.

SOFTWARE

Interface

Em termos visuais, a interface TouchWiz é praticamente a mesma que você está acostumado a ver há pelo menos uns dois anos. Entretanto, felizmente, desta vez as modificações de software feitas pela Samsung parecem ter surtido efeito e ela está mais leve e consumindo menos RAM. Isso não significa que ela chegou a um ponto ideal, mas é nítida a evolução de um ano para cá.

O número de softwares embarcados, excetuando-se os serviços-padrão do Android, caiu para quinze, mas o número ainda é alto. Entre eles há boas novidades como uma suíte de aplicativos da Microsoft, que inclui os apps Skype, OneDrive e OneNote. Outra possibilidade que deve agradar em cheio o consumidor brasileiro é o gerenciador de temas. Por meio da loja de aplicativos da Samsung, é possível baixar dezenas de temas gratuitos e aplicar no smartphone.

Ao menos por enquanto, a utilização dos recursos do display lateral é limitada. Entretanto, o visual é bonito e em muitos momentos as funções Edge deixam a tela principal mais livre para o usuário. Esse ainda está longe de ser um item fundamental nos celulares, mas trata-se de um recurso que tem potencial para ser explorado no futuro.

VALE A PENA?

Claramente o Galaxy S6 Edge é muito mais um celular focado no design do que em custo-benefício. Se você procura desempenho ou uma boa câmera, levar para casa um Galaxy S6 ou um S6 Edge não vai fazer diferença alguma. A única diferença será mesmo no seu bolso, já que a versão de 64 GB do Edge custa R$ 4,3 mil.

Entretanto, é inegável que o Galaxy S6 Edge se coloca no mercado como um objeto de desejo. As bordas laterais curvas trazem boas funcionalidades, mas somente elas não justificam o investimento maior. Entretanto, quem paga R$ 3,3 mil no S6 normal pode não se importar em desembolsar um pouco mais para levar para casa um modelo que chama a atenção em qualquer lugar que você vá.

O Galaxy S6 Edge é excelente em praticamente todos os quesitos. As exceções ficam por conta da duração de bateria, que poderia ser maior, e da usabilidade prática das telas curvas, já que segurar o aparelho não é tão confortável assim como na versão sem elas. Se você busca custo-benefício ou apenas um bom desempenho, passe longe dele. Agora se você quer desempenho e um aparelho que vai deixar seus amigos morrendo de inveja e curiosidade pelo design e visual, abra bem a carteira e leve o Galaxy S6 Edge para casa.

FAQ

Você pergunta e o TecMundo responde

1 – Quanto tempo demora para carregar o aparelho 100%?

Esse tempo varia bastante, de acordo com o local onde ele está sendo carregado. Porém, em média, ele leva 30 minutos para ir de 0 a 50%. A partir disso, a recarga fica um pouco mais lenta e o processo é completado em aproximadamente 1h30 e 1h40.

2 – Ao pegar o celular, é comum tocar na tela lateral sem querer?

Sim, é bastante comum. Entretanto, é possível desativar essas funções. Além disso, o modo de habilitação requer que você deslize o dedo para baixo e para cima, o que torna os toques acidentais mais raros.

3 – O Galaxy S6 Edge é à prova d’água?

Não. O Galaxy S6 Edge não conta com nenhum tipo de certificação como essa e, portanto, não deve ser submerso na água.

4 – Há diferença entre o Galaxy S6 e o Galaxy S6 Edge?

Tecnicamente não, uma vez que o hardware de ambos é o mesmo. Entretanto, em nossos testes, sentimos que o desempenho do S6 Edge é um pouco melhor. A diferença não é significativa e ambos são excelentes, mas se você faz questão de ter o máximo em hardware, escolha o Galaxy S6 Edge.

5 – A tela curva ajuda a segurar o aparelho ou prejudica a pegada?

Em nossa opinião, a tela curva prejudica. Ele não se mostra tão anatômico quanto o Galaxy S6, por exemplo, e é preciso tomar um pouco mais de cuidado para que ele não escape das mãos.

Cupons de desconto TecMundo: