Assim como faz com os principais aparelhos do mercado, o site iFixit decidiu desmontar o Samsung Galaxy S6 Edge para descobrir se ele é um dispositivo facilmente reparável ou se ele dificulta a vida dos consumidores — algo que muitos têm receio, graças à tela curva, que parece mais complicada de ser trocada do que outros displays mais simples.

Pois depois dos testes, o site chegou à conclusão de que tentar fazer qualquer tipo de reparo sozinho pode ser uma péssima ideia para qualquer consumidor. Na escala de “facilidade nos reparos” (que vai de zero a dez), o Galaxy S6 Edge recebeu uma nota bem baixa: 3 — sendo melhor conceituado do que o HTC One M9, que teve os resultados publicados ontem aqui mesmo no TecMundo.

De acordo com o iFixit, os grandes problemas do dispositivo estão justamente onde se esperava encontrar dificuldades: tela e bateria. A abertura da carcaça principal é simples e a retirada da placa-mãe não chegam a ser difíceis, mas as antenas presas de formas complexas acaba tornando mais complicada a desconexão dos componentes. O iFixit também menciona a USB 2.0 (em vez de padrões 3.0) como um aspecto negativo.

Voltando ao ponto principal, o site afirma que a bateria fica presa à estrutura traseira da tela, que por sua vez fica praticamente “enterrada” no frame intermediário — sendo preciso retirar toda a placa-mãe caso você precise trocar de bateria, por exemplo. Por causa da tela curva, ainda torna-se quase impossível trocar o vidro dela sem quebrar o painel. Em resumo: a manutenção do Samsung Galaxy S6 Edge exige o auxílio de assistências autorizadas.

Cupons de desconto TecMundo: