Robôs microscópicos devem ser utilizados em breve na luta contra o câncer. A novidade vem sendo testada em uma pesquisa do Phillips Innovative Technologies, na Alemanha, e foi publicada no periódico Journal Science Robotics no dia 15 de fevereiro. Segundo os cientistas, o procedimento usa forças magnéticas para controlar remotamente um enxame de minúsculas máquinas capazes de transportar remédios e realizar várias outras tarefas.

A vantagem de usar método com campo magnético é poder realizar tarefas no interior do corpo humano sem a necessidade de motores ou baterias

A equipe conseguiu vencer o desafio de manipular os bots individualmente, com movimentos, ações, direção e velocidades diferentes. “Nosso método permite manipulações complexas no interior do corpo humano”, afirma Jürgen Rahmer, físico que lidera o estudo.

Robô feito com peças de Lego foi conectado aos parafusos magnéticos para ilustrar movimentação independente dos componentes

Como funciona

Primeiramente, os cientistas criaram vários parafusos idênticos e muito pequenos e usaram um poderoso campo magnético para manter os objetos em um determinado local. Depois, eles utilizaram uma força menor para movê-los livremente, de forma precisa. “Com isso, podemos fazer tarefas no corpo humano sem a necessidade de baterias ou motores”, explica Rahmer.

Uma das aplicações seria usar enxames de bots para injetar cargas radioativas por meio de pílulas microscópicas feitas de material metálico. Isso poderia ajudar os médicos a atacar tumores sem danificar tecidos saudáveis. A tecnologia também poderia criar implantes que se adaptam conforme os pacientes vão se curando.