A semana passada trouxe o vazamento das especificações técnicas do projeto Durango, que seria o novo video game da Microsoft — possivelmente o Xbox 720. Desta vez, o que chegou ao grande público foram novos detalhes das configurações do Orbis, que é o vindouro console da próxima geração da Sony, também conhecido como PlayStation 4.

O site VGLeaks publicou esta última lista de especificações, confirmando o último vazamento, baseado no kit de desenvolvimento entregue às desenvolvedoras. De acordo com a publicação, o novo console deve mesmo utilizar um único chip superpoderoso de processamento da AMD, uma APU que une processador e placa gráfica em um único pacote.

Ao que parece, o APU do Orbis será severamente mais poderoso do que qualquer outro deste conjunto que foi lançado pela AMD até agora. A arquitetura Fusion aglutina a placa de vídeo do console ao processador, gerando uma capacidade maior com um consumo de energia menor. Dentro do chip estarão oito núcleos Jaguar de processamento, que funcionarão a uma velocidade de 1,6 GHz, concentrados em dois clusters.

Cada cluster será composto por quatro núcleos, que compartilham 2 MB L2 de cachê e SIMD ALU de 256 bits, com capacidade de execução fora de ordem.

(Fonte da imagem: Reprodução/VGLeaks)

Como já havia sido cogitado anteriormente, a GPU do Orbis será baseda na placa AMD R10XX que utilizará uma versão melhorada da arquitetura Southern Islands. Esse aparato também contará com a tecnologia equivalente ao DirectX 11.1, acrescida de um set de mais possibilidades. Ao todo, o sistema conta com 18 unidades computacionais, com o hardware balanceado a 14 dessas unidades e com 512 KB de leitura (ou cópia) em L2 cache.

A placa gráfica ainda contará com as seguintes especificações:

  • 800 MHz
  • 1.843 Tflops, 922 GigaOps/s
  • Dual shader engines
  • 18 unidades de textura
  • 8 unidades de renderização

Vale lembrar que cada uma dessas unidades de textura de renderização vai abrigar quatro partes menores de cada componente descrito acima. Ou seja, serão quatro vezes as 18 unidades de textura, quatro vezes as oito unidades de renderização e assim por diante.

Memória

A memória do Orbis é uma das poucas especificações que sofreu alguma alteração em relação aos dados que já foram divulgados anteriormente. Cogitava-se que a plataforma utilizaria os 4 GB de memória unificada, com uma estimativa de 3,5 estarem disponíveis para uso dos games.

Desse total, a memória deveria rodar a uma velocidade de 192 GB/s. No entanto, ao que parece, a velocidade de processamento deve ficar um pouco menor do que a cogitada, fechando em 176 GB/s — o que já é muito melhor do que existe atualmente.

(Fonte da imagem: Reprodução/Examiner)

Armazenamento

O console deve utilizar mídias Blu-ray de alta velocidade, com capacidade de leitura para discos de uma (com 25 GB) ou de duas (50 GB) camadas. A velocidade angular de leitura das mídias deve oscilar entre a máxima de 6x (27 MB/s), para a parte mais externa do disco, e a mínima 3,3x até 6x ao redor do anel central, menor.

A capacidade de armazenamento externo é um pouco questionável. De acordo com o VGLeaks, o Orbis trará um único tamanho de HD em seu lançamento, que será 500 GB. Ao que parece, o console pode ganhar algum tipo de memória Flash no futuro, preferencialmente maior do que 4 GB.

Conexão e periféricos

(Fonte da imagem: Reprodução/GameFM)

Em termos de conexão com a internet, o Orbis deve ter capacidade para conexões Ethernet de até 1 Gb/s (conexão via cabo), 802.11b/g/n Wi-Fi, sendo que a n é a mais rápida das três. O console também utilizará Bluetooth.

Os periféricos já conhecidos do novo console continuam sendo o controle Dualshock evoluído, talvez bipartido e com novos recursos. Ele contará também câmeras, mas ainda não sabemos ao certo qual será a função da segunda. Além disso, também haverá o pacote integral do PlayStation Move, que pode ou não entregar novidades.

Surpresas! 

As especificações mais controversas e que servirão de assunto para muitos debates entre jogadores são as informações “extras” que foram trazidas pelo VGLeaks. Como havíamos comentado anteriormente, o Orbis deve contar com um processador integralmente dedicado ao áudio, o que pode melhorar muito o desempenho do console.

Haverá também unidades de codificação e de decodificação de vídeo, o que pode incrementar a performance na exibição de vídeos, juntamente com o novo recurso Display ScanOut Engine (DCE). Talvez a Sony esteja pensando em inserir no novo console uma espécie de chip escalonador, com a função de adaptar imagens em resolução mais baixa para a tela de sua televisão.

(Fonte da imagem: Fonte da imagem: iStock)

Para terminar, haverá também os recursos oferecidos pelo Zlib, que é um dispositivo de compressão e de descompressão de arquivos.

Certeza mesmo?

Vale salientar que o próprio VGLeaks, que publicou o vazamento das informações, deixa bem claro que a Sony pode alterar essas configurações no futuro. Em todo caso, o certo é que, dentro dos próximos meses, teremos uma grande “guerra técnica” entre as configurações do projeto Durango e do Orbis. Quem estiver vivo verá!

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: