Mesmo o enorme sucesso do Lumia 520 não impediu os prejuízos da empresa (Fonte da imagem: Divulgação/Nokia)

Um novo relatório da Nokia com relação ao primeiro trimestre de 2014 vem para mostrar que a empresa realmente se tornou apenas uma sombra do que já fora (e que a Microsoft pode não ter feito um bom negócio). Segundo os números, a companhia teve um rendimento 30% menor no espaço de um ano, devido ao que eles chamam de “um grande ímpeto das plataformas de smartphone competidoras”.

Curiosamente, o número de smartphones vendidos pela empresa aumentou consideravelmente. A média do preço de venda dos aparelhos, porém, caiu, indicando que os celulares de entrada da companhia foram os mais comprados pelo público (como no caso do Lumia 520, por exemplo).

Isso, é claro, não impediu a empresa de sofrer graves prejuízos: se antes a companhia teve perdas de 73 milhões de euros no mesmo período do ano passado, atualmente as perdas cresceram para absurdos 326 milhões de euros.

Quando vender sua principal área é um bom negócio

Agora, se você acha que a venda da divisão de celulares da Nokia será o fim definitivo da companhia, saiba que está muito enganado. Como notado pelo The Verge, essa é a única área que está causando prejuízos para a empresa e apresentando um declínio constante – enquanto isso, outros serviços dela seguem o caminho oposto, em um crescimento considerável.

O fato é que a Nokia, que veio se reinventando através de seus 150 anos de história, ainda conseguiu apresentar um lucro de € 240 milhões (aproximadamente R$ 740 milhões), graças às outras áreas em que ela está atuando. Se não tivesse sua divisão de celulares e smartphones, os lucros teriam simplesmente dobrado, chegando a € 500 milhões (R$ 1,54 bilhões).

Com isso, parece que vender a divisão de dispositivos móveis não é apenas uma boa decisão: ela é provavelmente a melhor que a Nokia pode fazer, se quiser continuar sobrevivendo.

Cupons de desconto TecMundo: