Com a apresentação do novo Lumia 1020 pela Nokia hoje (11), muita gente ficou interessada em saber como funciona a incrível câmera de 41 MP do aparelho, possivelmente a melhor e comprovadamente a com mais megapixels que já foi embutida em um smartphone. A câmera PureView da Nokia é uma atualização da EOS 41 MP PureView que acompanhava o Nokia 808 PureView, aquele grandão que rodava o falecido Symbian.

Na época, a empresa estava indo de mal a pior e ainda lançava aparelhos com o velho sistema operacional que utilizou por anos. Por conta do mau desempenho do Symbian se comparado com a concorrência, o aparelho, mesmo com uma ótima câmera, não emplacou. Agora, a finlandesa aposta suas fichas no Windows Phone 8 com um sensor ainda melhor que o do antecessor.

Zoom mágico

O zoom digital da câmera do Lumia 1020 não é exatamente um zoom digital — pelo menos não da forma que conhecemos hoje, disponível em nossos smartphones e várias câmeras amadoras. No smarphone, em vez de eliminar alguns pixels da fotografia para tornar determinadas regiões maiores, ele simplesmente “corta” a imagem em uma área escolhida por você.

Ou seja, ele captura todas as imagens em 38 ou 34 MP (nos formatos 4:3 e 16:9 respectivamente) e deixa todos os dados armazenados no aparelho, sem nenhuma perda de qualidade. Ainda assim, o que ele mostra na tela para você é uma prévia da foto original, como se fosse uma “thumbnail” de 5 MP. A partir disso, você vai aproximando a imagem em alguma parte do quadro capturado e o smartphone vai cortando a foto até chegar ao enquadramento desejado. Nada de pixels desaparecendo, mas sim um corta e recorta de fotos.

Caso o aparelho funcione de fato da forma como podemos ver nesses vídeos, a capacidade de processamento de imagem deve realmente ser surpreendente, já que consegue lidar com imagens bem grandes e ainda assim criar “prévias” instantaneamente.

Qualidade aguçada

Segundo a Nokia, não são apenas megapixels que deixam uma foto com cores mais balanceadas, detalhes mais vívidos e, enfim, com uma qualidade aguçada. As lentes da câmera PureView é que fazem boa parte do trabalho. Ao todo, são seis delas, fabricadas pela ZEISS. Elas garantem a entrada de luz uniforme necessária para tirar boas fotos até em ambientes escuros, além de evitar distorções que podem acontecer em determinadas situações.

Para lidar com esse tipo de ambiente, a Nokia criou uma tecnologia que reduz o ruído em imagens com pouca luz. Para isso, foi preciso incluir um sistema de iluminação traseira no sensor de imagens. Ou seja, os pixels que não receberam nenhuma informação luminosa do ambiente não ficam “completamente apagados”, o que acaba com o efeito granulado e cheio de pontinhos pretos para todo lado nas fotografias.

Fabricante deu um jeito de arrumar a casa para entrar mais luz. (Fonte da imagem: Divulgação/Nokia)

Até hoje, não era possível utilizar retroiluminação em sensores tão pequenos como os de smartphones por conta das conexões com fios que cada pixel precisa. A Nokia então deu um jeito de reorganizar tudo isso para que houvesse espaço suficiente para a iluminação corrigir as falhas nas imagens feitas no escuro. O resultado dessa tecnologia poderemos ver quando testarmos o aparelho.

Segunda geração de estabilizadores de imagem

Fazer vídeos com o celular sempre foi um problema por conta das imagens tremidas. Os smartphones são sempre muito leves para que nossas mãos consigam manter uma pegada mais firme, o que gera um grande problema. Empresas como a Apple, Samsung e a própria Nokia já conseguiram resolver parte desse incômodo com estabilizadores magnéticos, que identificavam as variações na orientação do aparelho e tentavam corrigir o que aparecia na tela.

Acontece que isso não funcionava de forma rápida o suficiente, e um pouco de tremedeira ainda aparecia nos vídeos. Na câmera PureView da Nokia existe a segunda geração de estabilizadores, que funciona de forma óptica, com uma espécie de eixo que identifica as oscilações e as corrige mais rapidamente. Esse sistema foi utilizado pela primeira vez no Lumia 920 PureView e chega atualizado no novo aparelho da fabricante.

Novas formas de controle da câmera deixam o manejo mais simples. (Fonte da imagem: Divulgação/Nokia)

Soluções de software

Uma câmera com tantas qualidades de hardware não seria nada sem um bom aplicativo para fazer tudo isso funcionar. A Pro Camera da Nokia permite ser configurada de forma manual, para que você ajuste diversas variantes de exposição, controle de luz, ruído e vários outros. Com isso, você consegue a imagem praticamente da forma que quer.

O Lumia 1020 chega ao mercado norte-americano em 26 de julho como aparelho exclusivo de uma operadora local. No lançamento, ele estará sendo vendido por US$ 300, com contrato de serviços da AT&T.

Cupons de desconto TecMundo: