Projeto encontra-se em versão 1.0 (Fonte da imagem: Reprodução/WallCapture)

A Mozilla anunciou nesta semana um projeto que pretende otimizar o carregamento de páginas por meio da melhoria de recursos de decodificação de imagens. Sob o nome de mozjpeg, a empreitada tem o objetivo de “proporcionar o carregamento de qualidade de arquivos JPEG e acelerar as taxas de compressão”, conforme explica a própria companhia.

O formato JPEG se popularizou no início da década de 1990. Posteriormente, e em decorrência da chegada de códigos como HTML, JS e CSS, por exemplo, esses tipos de arquivos acabaram se tornando responsáveis por engarrafar o tráfego durante o carregamento de uma página. Assim, e considerando o formato JPEG como um dos mais universais, a Mozilla pretende melhorar a forma de exibição dessas imagens.

“A criação de decodificares para arquivos JPEG está estagnada em termos de eficiência de compressão. Então, substituir o JPEG por algo ‘melhor’ tem sido tema de discussões frequentes. Mas o problema com relação à substituição desse formato é justamente o tempo que seria gasto em uma adaptação ‘mundial de softwares’. Nós [Mozilla] não duvidamos que melhorias algorítmicas vão valer a pena – isso deverá acontecer em breve. E mesmo que a transição para um formato alternativo de imagem fosse feito, o JPEG continuaria sendo amplamente usado”, comenta a desenvolvedora do Mozilla Firefox.

Mozjpeg em versão 1.0 para download

Mesmo após mais de 20 anos, o formato JPEG ainda não atingiu seu potencial de compressão total. Como então explorar as potências de decodificação e melhorar assim o tempo de carregamento de páginas na internet? É justamente sobre este ponto que o projeto mozjpeg se agarra – e a versão 1.0 do protótipo já pode até ser baixada (clique aqui).

O formato JPEG ainda não atingiu sua potência total de compressão. (Fonte da imagem: Reprodução/Uario)

O Perl script desenvolvido por Loren Merritt, disponível por meio da funcionalidade “jpgcrush” na versão 1.0 de mozjpeg, basicamente reduz o tamanho dos arquivos sem perdas de qualidade através de uma “decodificação progressiva” – que usa uma quantidade menor de bits. A Mozilla afirma não conhecer qualquer outro decodificador capaz de comprimir imagens de forma tão eficiente – fato que motivou, inclusive, o desenvolvimento de mozjpeg. 

O projeto passa atualmente por uma fase de testes; não se sabe ainda quando uma versão final da empreitada deverá ser liberada pela Mozilla. Para mais informações, visite o blog da desenvolvedora por meio deste link.

Cupons de desconto TecMundo: