Quem acompanha o TecMundo percebe que diversas fabricantes, em vez de seguirem uma sequência numérica de sucessão, lançam um tablet ou smartphone em "gerações" com alterações que podem ser gritantes ou pequenas, mas que fazem a diferença no preço e no desempenho do gadget. O pior disso tudo? Muitos deles nem mudam de nome ou só recebem um “Novo” antes do modelo.

Quando você vai fazer uma compra, portanto, é preciso prestar muita atenção no celular que vai levar para casa. Por uma pequena distração, você pode sair da loja física ou virtual com um aparelho de preço e desempenho diferentes do desejado — às vezes, até por malandragem do estabelecimento, que cria uma promoção “imperdível” de um modelo já ultrapassado.

Esse pode ser o caso da Motorola, que possui três famílias de smartphones: o Moto E, de entrada; o Moto G, intermediário; e o Moto X, top de linha. Todos já receberam ao menos uma versão atualizada, mas podem possuir mais variações.

Abaixo, utilizando tabelas de especificações técnicas e textos comparativos, preparamos um pequeno guia para ajudar você a identificar as diferenças no ato.

Moto E

O celular de menor custo e desempenho da Motorola já existe em duas gerações, com a última sendo o mais novo lançamento da empresa. Ambas possuem uma leve curvatura na traseira, facilitando a pegada, mas a versão mais recente é um pouco maior que a anterior.

A principal diferença entre as gerações é que o Novo Moto E possui uma câmera frontal, enquanto o primeiro modelo só acompanha a traseira. Já para diferenciar a versão 3G da 4G (ou 4G com TV digital, que tem as mesmas características), é preciso conferir as especificações técnicas ou ficar de olho nas bandas suportadas pelo aparelho: se a LTE 2600 estiver inclusa, trata-se da versão com 4G. O Moto E de primeira geração conta com TV Digital (DTV) em sua única forma e só suporta 3G.

Outro detalhe importante é que a primeira geração do Moto E tem traseira e bateria removíveis. É possível personalizar o aparelho com capas intercambiáveis, assim como na primeira geração do Moto G. Já o segundo modelo não tem o painel de trás removível. No lugar, a versão 4G conta com as Moto Bands, que são bordas coloridas personalizadas.

Atualmente, no site da Motorola, os preços cobrados são os seguintes: R$ 420 (primeira geração), R$ 569 (segunda geração com 3G), R$ 699 (segunda geração com 4G) e R$ 729 (segunda geração com 4G e DTV).

Moto G

No smartphone intermediário Moto G, que praticamente instituiu um padrão de qualidade e preço para a categoria, é fácil se confundir — são duas versões por geração, com a diferença principal sendo a presença ou não da conectividade móvel 4G.

Fisicamente, eles também são diferentes. O detalhe gritante é que o Novo Moto G possui alto-falantes frontais em sistema estéreo, com duas barras na cor prata que são bem visíveis. O Moto G tem um alto-falante traseiro que é facilmente identificado: os "furinhos" ficam bem ao lado do sensor da câmera.

A versão de 2013 é claramente menor que a atual – só que os dois contam com uma leve curvatura traseira para facilitar a pegada. Outra diferença é o visual menos arredondado da segunda geração, ficando bem parecido com o primeiro Moto X. Ambos os smartphones têm a traseira removível (porém não a bateria), duas câmeras e capas coloridas intercambiáveis. No quesito cores de capas, são quatro para o Moto G e duas para o Novo Moto G.

É essencial ficar de olho nas especificações técnicas, mas note que elas são muito parecidas entre os celulares. Além da presença do 4G ou não e do armazenamento variável entre 8 GB e 16 GB, outro diferencial é a ausência do suporte a cartões micro SD no Moto G 3G de primeira geração — e esse detalhe pode ser fatal se você gosta de carregar o aparelho com mídias e apps.

Os preços cobrados no site da Motorola são os seguintes: R$ 749 (segunda geração sem 3G); R$ 849 (segunda geração Colors com DTV); e R$ 929 (segunda geração com 4G). A primeira geração está fora de catálogo na página oficial. De acordo com o Zoom, os valores atuais são R$ 719 (16 GB, só 3G e com quatro capas) e R$ 674 (8 GB com 4G, mas sem capas).

Moto X

Com o top de linha da Motorola (que agora perde para o Moto Maxx, mas aí é outra história), a situação é bem mais simples. Ambas as versões do Moto X possuem conectividade 4G e só há uma versão para cada geração.

Além disso, o hardware foi bastante modificado de um modelo para o outro, especialmente no processador e no espaço de armazenamento. Por isso, é só bater o olho nas especificações técnicas para saber qual é a geração do aparelho.

Se você preferir, também é possível fazer a diferenciação pela aparência. O salto de tamanho do Novo Moto X é bem considerável: muita gente até acha ele desconfortável demais para ser segurado com só uma das mãos. Assim como na diferença de gerações do Moto G, a segunda versão do Moto X possui a dupla de alto-falantes em forma de barra no painel da frente.

O outro lado também é bem diferente. No Novo Moto X, a logo da empresa está bem maior. A câmera é maior e possui um flash em forma de anel que contorna o sensor. A segunda geração ainda possui uma borda de alumínio no acabamento, enquanto a primeira é toda de plástico. A personalização de ambos os modelos é bastante vasta, inclusive com materiais como couro e madeira — só que nem todas as opções são lançadas no Brasil.

No site oficial da Motorola, o valor cobrado é de R$ 1.499 (segunda geração). A primeira geração está fora do catálogo da página e até de sites de comparação de preços.

...

Pronto! Agora você é capaz de diferenciar o Moto E, o Moto G e o Moto X não só entre si, mas também em suas respectivas gerações. Desse modo, com certeza vai sair da loja feliz e com o modelo que queria.