Telefónica quer rede aberta e edge computing no Brasil até 2020

1 min de leitura
Imagem de: Telefónica quer rede aberta e edge computing no Brasil até 2020
Avatar do autor

A Telefónica afirmou que a rede da Vivo no Brasil passará por testes de rede aberta com edge computing em 2020. Segundo o MobileTime, a confirmação veio do CEO da Telefónica David del Val durante evento em Barcelona, na Espanha.

Isso significa que a Vivo quer abrir espaço para que “desenvolvedores de chipsets, antenas de rádio, stack de software, whiteboxes (caixas com serviços integrados na nuvem para ficar na casa dos clientes), grupos de padronização, provedores de serviços e de suporte colaborem para criar aplicações e serviços para a plataforma”, explica o MT.

É preciso pensar que edge computing é uma cloud de altíssima velocidade

David Del Val comentou que a Telefónica testa o edge computing na Espanha desde 2019. Sobre o Brasil, a empresa está integrando a infraestrutura de edge computing com o conceito de rede de acesso aberto. A proposta da Telefónica é que o modelo de rede aberta seja convergente entre as redes fixas e móveis, com habilidade de edge computing.

“É preciso pensar que edge computing é uma cloud de altíssima velocidade. Nós vamos ver o nascimento do edge computing neste ano. Parte das aplicações roda no equipamento (on premises) e parte na cloud. É o melhor dos dois mundos. Isso serve para melhorar a performance da computação, ter novos serviços de telcos e trazer novas maneiras de fazer cloud”, disse o executivo.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Telefónica quer rede aberta e edge computing no Brasil até 2020