Uber esteve recentemente envolvido em um acidente com um veículo autônomo que resultou na morte de uma mulher de 49 anos nos Estados Unidos. O caso levantou questões sobre a falta de padrões de segurança para esses carros e a companhia suspendeu temporariamente os testes, enquanto coopera com a investigação federal. Muita gente chegou a especular que o setor talvez fosse deixado de lado depois do episódio, contudo, o CEO Dara Khosrowshahi disse na quarta-feira (11) que segue acreditando na novidade.

Khosrowshahi não falou quando deve retomar as experiências ou o que teria saído errado e afirmou que “continua acreditando nisso” e considera os automóveis inteligentes “parte da solução” para o fim do transporte individual, a longo prazo. “O (veículos) autônomos serão mais seguros quando estiverem mais desenvolvidos.”

Ele acrescentou que interesse da empresa em investir em compartilhamento de bicicletas e transporte público não deve ser interpretado como um afastamento dos carros autônomos. Enquanto isso, a Administração Nacional de Segurança no Trânsito nas Estradas dos EUA e o National Transportation Safety Board (NTSB) continuam apurando o que houve.

Cupons de desconto TecMundo: