Com todos os problemas enfrentados pela Uber, incluindo o afastamento do então CEO Travis Kalanick, um investidor anjo da plataforma de ride sharing deu a ideia de que talvez fosse legal considerar uma fusão com a montadora queridinha do momento, a Tesla. No entanto, parece que a ideia não era tão boa assim.

Jason Calacanis, que investiu na Uber em 2009, acredita que entregar a companhia para a empresa de Elon Musk realmente pode solucionar o seu problema de falta de liderança. “Se as duas empresas se juntassem, bateria todos no segmento de transportes”, explicou. “Precisamos voltar com esse senso de camaradagem e resolver esses problemas para os funcionários e acionistas da Uber”.

No entanto, Calacanis também tem um interesse grande na volta de Kalanick ao poder da empresa, mesmo sem grandes motivos aparentes. O problema é que, embora seja o serviço de caronas pagas mais utilizado no mundo, os interesses são conflitantes, visto que a Uber está trabalhando e investiu muito dinheiro em um programa de desenvolvimento de direção autônoma – algo que a Tesla também faz e de uma forma bem diferente.

Além disso, as relações entre as duas empresas não está nas melhores condições. Junte isso as situações complicadas que a Uber está tendo que lidar ultimamente e você tem uma receita que não é lá a mais tentadora para pessoas como Elon Musk – principalmente se considerar o momento que a Tesla está passando, às vésperas de começar a produção pra valer de seu carro mais aguardado, o Model 3.

Para finalizar, é sabido que Elon Musk não é conhecido pelas parcerias que forma, mas muito mais pelo o que suas empresas criam.

Ainda assim, sonhar é de graça.