Afinal, por que a Netflix retira filmes e séries do catálogo?

Imagem de: Afinal, por que a Netflix retira filmes e séries do catálogo?
Imagem: Shutterstock

Essa é uma situação que você provavelmente já vivenciou ao usar a Netflix: entrar no site ou aplicativo, colocar um filme ou uma série na lista para ver depois e, dias depois, perceber que ele não está mais no acervo da plataforma de streaming.

A Netflix com certa frequência retira filmes e séries do catálogo, frustrando quem deixou para assistir a esses conteúdos mais tarde ou até estava no meio de uma temporada. Mas você sabe exatamente por que isso acontece?

São várias as razões que fazem a Netflix retirar filmes e séries do seu catálogo. E todos os motivos tem a ver com decisões com base na situação do mercado de entretenimento. Confira mais detalhes a seguir.

Os motivos para a Netflix tirar conteúdos do catálogo

Segundo a própria plataforma, o principal motivo para que filmes e séries sejam removidos do catálogo é a disponibilidade dos direitos. Em outras palavras, é preciso que os conteúdos tenham os direitos comprados para integrar o acervo.

Esse tipo de contrato tem uma validade definida e, caso o acordo não seja renovado, os conteúdos saem após certa data. A renovação ou não deve ser concordada por ambas as partes — ou seja, tanto a Netflix precisa querer manter o conteúdo quanto estúdios e distribuidoras toparem a manutenção.

The Office já entrou e saiu do catálogo da Netflix.The Office já entrou e saiu do catálogo da Netflix.Fonte:  NBC 

Outro fator envolvido é a questão geográfica: filmes e séries de catálogos dos Estados Unidos diferem do que está no Brasil. Com isso, as produções podem entrar e sair em momentos diferentes dos catálogos, já que os acordos são fechados regionalmente.

A plataforma de streaming leva em conta ainda a popularidade do título (quantidade de acessos e horas vistas, por exemplo) e também o custo de licenciamento, que pode variar de acordo com o sucesso do programa. Com isso, se um filme ou série não faz sucesso e está gerando custos, a tendência é que a produção seja retirada do catálogo.

Concorrência e acordos com plataformas

Outra questão envolvida é o fator concorrência. A Netflix não pode colocar certos títulos ou já perdeu algumas produções porque as detentoras dos direitos resolveram montar as próprias plataformas de streaming. Esse é o caso de serviços como a Disney, que retirou os filmes da Marvel e produções da Pixar, por exemplo, do catálogo da Netflix para distribuí-los no Disney+.

Recentemente, entretanto, o contrário também tem acontecido: a Netflix está recebendo filmes e séries da Warner Bros. Discovery, de selos como HBO e DC Comics, após um acordo. Como a Netflix é bastante popular, algumas empresas resolvem fechar parcerias para ganhar com licenciamento e impulsionar suas produções.

A Netflix também muda bastante o próprio acervo inclusive para fazer o catálogo circular. Em outras palavras, a empresa precisa a todo momento adicionar novidades para trazer a sensação de novidade, ao mesmo tempo em que o acervo não fica inchado demais.

Sempre que a plataforma está prestes a retirar filmes e séries do acervo, ela avisa com antecedência por meio de notificações aos usuários que colocaram esses produtos na lista, uma linha de texto na página de cada conteúdo (no item "Detalhes") e na parte superior da tela durante os primeiros segundos da reprodução do título.

Fontes

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.