O Massacre da Serra Elétrica: filme da Netflix é sequência ou reboot?

Imagem de: O Massacre da Serra Elétrica: filme da Netflix é sequência ou reboot?
Imagem: Divulgação.

Os fãs de filmes de terror já podem matar a curiosidade sobre o novo filme derivado de O Massacre da Serra Elétrica. A partir desta sexta-feira (18), a obra está disponível na Netflix. Mas, afinal, a nova produção é uma sequência da história dos jovens que enfrentam uma família de canibais ou um reboot com um Leatherface 2.0?

O filme Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface, que é a nona produção da franquia, é uma sequência direta dos acontecimentos do filme slasher de Tobe Hooper, de 1974, que deu origem à série.

Dirigido por David Blue Garcia e com Kim Henkel, um dos roteiristas do filme original na produção, a nova obra oferece uma experiência cinematográfica cativante e surpreendente para os fãs da popular franquia de filmes de terror.

A história segue Melody e Dante, dois jovens empresários que chegam a uma cidade fantasma texana chamada Harlow, acompanhados de seus amigos. Suas ações despertam o brutal Leatherface, que despeja sua ira sobre os novos visitantes.

Novo Massacre da Serra Elétrica

O retorno de Leatherface.O retorno de Leatherface.Fonte:  Netflix/Divulgação. 

No filme de 2022, Leatherface segue na mesma linha do tempo, mas décadas depois dos eventos do filme de 1974. “É basicamente o mesmo personagem [Leatherface], que ainda está vivo. [...] Esse cara provavelmente desapareceu depois de tudo que ele fez... Essa história vai continuar muitos anos depois da história original. Ele está escondido há muito tempo, tentando ser uma boa pessoa. As pessoas que chegam na cidade vão despertar o gigante”, disse Fede Álvarez, coautor do novo filme, à Entertainment Weekly.

Os novos personagens são acompanhados por Sally Hardesty, a única sobrevivente da matança de Leatherface no filme de Tobe Hooper. Quando as ações de Melody e Dante abrem caminho para o retorno de Leatherface, Sally se junta a eles para aniquilar o assassino que matou seu irmão e seus amigos, mas não sem exibir seus traumas e culpa pelo primeiro massacre.

Álvarez afirmou que é fã do original e que a nova vesão é bem hardcore, mas ao mesmo tempo tem a simplicidade do primeiro filme: "Queríamos criar uma premissa muito simples com um poderoso efeito dominó. Tudo está configurado no lugar certo – tudo o que você precisa fazer é empurrar o primeiro dominó e tudo acontecerá sem esforço”, disse.

A nova versão traz críticas sociais à gentrificação, tiroteios em escolas e protestos contra armas. A nova sequência de Massacre da Serra Elétrica já está disponível na Netflix.