Doom At Your Service: a melancolia está de volta

Imagem de: Doom At Your Service: a melancolia está de volta
Imagem:

A TvN ataca nossos corações novamente! Após o fim do seriado Navillera (ou Like a Butterfly), a emissora coreana volta com os dramas de fantasia, e Doom At Your Service (Desgraça ao seu dispor) promete tudo pelo que os fãs do gênero estavam sedentos. O dorama, que estreou dia 10 de maio, marca também o retorno definitivo de dois atores queridinhos do público: Park Bo Young e Seo In Guk.

Exibido semanalmente às segundas e terças-feiras, Doom At Your Service conta a história da editora Tak Dong Kyung (Park Bo Young), que é diagnosticada com um câncer múltiplo em seu estágio final e tem aproximadamente 3 meses de vida restantes. Após um péssimo dia, ela deseja a desgraça para o mundo inteiro. Acontece que, momentos depois, o Deus da Desgraça (Seo In Guk) bate em sua porta oferecendo um acordo: ela pode ter a vida que sempre sonhou pelos próximos 100 dias antes de morrer, mas em troca precisa usar seu desejo para trazer a desgraça ao universo.

E aproveitando que a nação dorameira não cansa de se apaixonar por seres místicos, se prepare agora para cair de amores pela própria Desgraça. Seo In Guk entrega tudo como o deus mais bad boy da Terra. Com a postura impecável, o olhar frio e a fala debochada é quase impossível resistir a ele. Destaque especial para o cabelo levemente tingido de azul, que acaba aparentando um tom diferente a cada iluminação. 

Direção e semelhanças com Goblin

E por falar em iluminação, esse é um show à parte! Ambientado durante o outono coreano, a fotografia é mais terrosa e quente na presença da personagem de Park Bo Young, enquanto os momentos solos de Seo In Guk são mais frios e escuros. A direção de Kwon Young-il também está de parabéns, evitando a câmera parada, ele consegue capturar o incômodo eventual dos personagens através do foco e de movimentos. E a intercalação com os flashbacks nem precisava do letterbox – aquelas faixas pretas acima e abaixo da tela –, pois a mudança de fotografia deixa tudo bem claro.

Apesar de sabemos que dramas de fantasia costumam apresentar vários aspectos comuns, nesse vemos uma semelhança com o lendário Goblin. Além da paleta de cores, percebe-se uma inspiração em momentos mais emotivos do roteiro, e também na reflexão entre dádiva e castigo. Também se passando no outono, não podiam faltar temas delicados como sofrimento e mortes precoces, que são praticamente figurinhas carimbadas do gênero. 

Os personagens secundários

Poucas vezes temos tramas de personagens secundários com histórias intrigantes, mas que não roubam a cena dos protagonistas. Em Doom At Your Service, vemos o dilema da escritora Na Ji-na, que se encontra dividida entre seu primeiro amor e o editor frio Cha Joo-ik. Tudo acompanhado por trilhas sonoras delicadas e românticas.

Doom At Your Service/TVNDoom At Your Service/TVN (Reprodução)

Outro ponto positivo do roteiro são as cenas de introspecção dos personagens, nas quais eles refletem sobre a vida enquanto cumprem funções do cotidiano. Apesar de relativamente raras na cinematografia ocidental, que valoriza o constante movimento, essas cenas são comuns nas obras asiáticas. 

O que está por vir?

Embora traga reflexões belíssimas e realistas sobre a vida, sorte e azar, alguns conceitos da série ainda são um mistério complicado de se entender. No entanto, como  a série não foi finalizada ainda, pode ser algo que vá ser explicado mais tarde. Também há a possibilidade de coisas terem se perdido na tradução amadora, ou que sejam simples falhas do roteiro.

E é uma verdade universalmente conhecida pelas dorameiras que qualquer casal que parece muito feliz lá pelo episódio 8, com certeza vai sofrer muito pelos próximos. Além de que, é sempre bom lembrar que esses dramas de fantasia romântica não costumam acabar 100% bem: ou têm finais agridoces como Goblin e King Eternal Monarch, ou um triste desfecho aberto, como Moon Lovers e Odisséia Coreana. Então sugiro preparar os lenços.

Doom At Your Service: a melancolia está de volta