Bridgerton: o que a 2ª temporada da série da Netflix pode melhorar?

Imagem de: Bridgerton: o que a 2ª temporada da série da Netflix pode melhorar?
Imagem: Netflix/Reprodução

Bridgerton, a primeira série de Shonda Rhimes na Netflix, conseguiu cativar o público e se colocar em uma posição privilegiada entre as produções mais assistidas na plataforma de streaming. No entanto, por mais que existam diversos pontos positivos, muitos espectadores observaram algumas pequenas fragilidades que podem melhorar muito em uma 2ª temporada de Bridgerton.

Uma delas é a questão do colorismo. Uma parte do público e também da crítica apontou que, por mais que a representatividade estivesse à frente da produção, ainda havia alguns pontos que precisavam de uma maior atenção.

Nesse sentido, vale destacar que nos romances originais de Julia Quinn, no qual a série foi baseada, não haviam questões fundamentais acerca da etnia dos personagens. E, para conseguir transpor todos os eventos narrados de forma literária para as telas, é necessário uma revisão histórica e um cuidado maior por parte dos roteiristas para evitar estereótipos.

(Reprodução)(Reprodução)Fonte:  Netflix 

Um dos fatores apontados como problemáticos é o caso das pessoas negras de pele mais escura terem sido retratadas, de certa forma, com maiores traços de vilania — o pai de Simon (Regé-Jean Page), por exemplo. Como a Netflix visa um público mundial de uma forma bem expansiva, essas questões não podem ser ignoradas pelos produtores.

Outros aspectos que merecem atenção estão relacionados à personagem Marina (Ruby Barker), uma mulher negra que acaba sendo muito submissa em diversos aspectos e parece não ter uma trama tão motivadora. Muitos espectadores criticaram seu desenvolvimento, mesmo que a intenção original dos romances fosse outra.

Dentro desse contexto, é válido dizer que esse arco dramático é reflexo de uma situação histórica ocorrida durante e após as Guerras Napoleônicas.

O que esperar da 2ª temporada de Bridgerton, na Netflix?

Muitos fãs dos livros de Julia Quinn esperam que personagens importantes sejam retratados na adaptação seriada. A expectativa em torno da 2ª temporada da produção é que elementos do romance O Visconde Que Me Amava fiquem mais visíveis.

(Reprodução)(Reprodução)Fonte:  Netflix 

Esses novos personagens podem expandir ainda mais a representatividade de uma forma que também possa deixar tudo bastante fiel ao que já foi apresentado. O enredo de Marina, por exemplo, merece uma revisão em diversos aspectos, adicionando outros elementos criativos que possam driblar alguns problemas nítidos, como novos personagens.

Conforme os livros futuros forem sendo adaptados, muito provavelmente haverá um esforço consciente para fazer mais do que apenas remover obstáculos difíceis em tramas principais. Para caminhar lado a lado com a questão histórica perante a questão social, outros artifícios consistentes precisarão ser criados e a 2ª temporada de Bridgerton já poderá introduzir alguns deles.

Não há nada de errado em ver Bridgerton como uma série que já é boa por si só e que apenas pode ser aprimorada ainda mais. Consequentemente, com certas revisões narrativas, novos espectadores poderão chegar a assisti-la e gostar ainda mais do enredo.

Esperamos que a 2ª temporada de Bridgerton consiga cativar mais o público e fazer um sucesso maior na Netflix!

Bridgerton: o que a 2ª temporada da série da Netflix pode melhorar?