George Miller processa Warner Bros. por causa de Mad Max: Estrada da Fúria

Minha Série
Imagem de: George Miller processa Warner Bros. por causa de Mad Max: Estrada da Fúria

O diretor australiano George Miller entrou com uma ação em seu país contra o estúdio, referente a um bônus de 7 milhões de dólares. Essa quantia iria para o diretor caso a produção do filme não passasse de 157 milhões de dólares em sua última contagem. De acordo com a Warner, o longa ultrapassou (e muito) esse teto, por isso Miller e sua produtora, Kennedy Miller Mitchell, não receberam o valor.

George Miller afirma que desconhece como foram feitas novas contas e como esse número foi acrescentado ao montante e culpa a Warner por ter possivelmente saído do orçamento, devido a atrasos e mudanças que ela mesma exigiu. Segundo os cálculos dele e de seus sócios, sem considerar os contratempos, não há dúvidas de que eles ficaram dentro do valor de 157 milhões.

Além desse motivo, Kennedy Miller Mitchell está processando a Warner por causa de um acordo com a produtora RatPac para ajudar a financiar filme, sendo que eles tinham oferecido o mesmo acordo antes. Tal fato só reforça a acusação de mudanças desnecessárias e que não foram repassadas ao diretor.


A franquia criada por Miller em 1979 e com Mel Gibson no papel principal contou com um orçamento de apenas 350 mil dólares e rendeu 100 milhões no primeiro longa, um recorde para a época. Depois, ainda foram feitas duas continuações com o ator: Mad Max 2: A Caçada Continua, de 1981, e Mad Max 3: Além da Cúpula do Trovão, de 1985, mas sem o mesmo reconhecimento do primeiro.

O sucesso só veio a se repetir com o pivô desse imbróglio: Mad Max: Estrada da Fúria foi lançado 20 anos após o terceiro filme, rendeu 378 milhões de dólares em bilheterias pelo mundo e foi um sucesso quase unânime de crítica. Além disso, ganhou diversas premiações, com destaque para as seis estatuetas no Oscar.

Miller afirmou na época do lançamento do filme que tinha roteiros e artes conceituais para mais dois filmes. Pelo que parece, essa briga judicial é o principal motivo para eles não terem saído do papel, o que nos faz temer pelo futuro da franquia.

Este texto foi escrito por Pedro Henrique via N-experts.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.