Pókemon: Detetive Pikachu é o filme mais fofo do ano (crítica sem spoilers)

Minha Série
Imagem de: Pókemon: Detetive Pikachu é o filme mais fofo do ano (crítica sem spoilers)

Após 24 anos de franquia com incontáveis jogos, mangás, CDs, cards, jogos de tabuleiro, uma série gigantesca de anime, mais de 20 filmes animados e (atualmente) com um total de 816 monstrinhos, Pokémon finalmente ganha um filme em live-action!

Pokémon: Detetive Pikachu estreou sem pressa e se aproveitando do sucesso longevo e ininterrupto de seu personagem principal. O responsável pela direção do filme — Rob Letterman (de Monstros vs. Alienígenas e O Espanta Tubarões) — entregou uma produção muito equilibrada que vai agradar tanto a crianças que estão começando a conhecer esse universo quanto aos fãs mais hardcores e nostálgicos da franquia (tanto que o filme faz um link direto com o primeiro longa animado de Pokémon de 1999!).

Inocente, bobo, maluco e está tudo bem!

Mas não se engane: o filme pode ser ambientado em um mundo meio sujo, a trama pode envolver conspirações de mortes e acidentes e a presença da voz do ator Ryan Reynolds pode indicar algumas piadas “sujas” à la Deadpool, mas Pokémon: Detetive Pikachu é assumidamente infantil. E isso não é, mesmo, um demérito.

E embora tenha uma ou duas piadas que façam sugestões um pouco adultas demais, o que piora muito quando sai de um personagem tão genuinamente fofo e adorável quanto o Pikachu, o equilíbrio entre a inocência e a “malandragem” é muito coeso.

E por falar em coesão, precisamos concordar que a trama é completamente maluca! Para quem não está muito acostumado com “bobeiras”, o filme pode soar um pouco estranho de início, mas não demora muito até você se acostumar e embarcar na brincadeira.

Pelo mundo viajarei tentando encontrar...

Um dos maiores méritos do filme foi a criação de um “mundo pokémon” consistente. Um mundo onde pessoas e pokémons convivem em harmonia e onde existe espaço, ambientes e até trabalhos para cada um conforme seus poderes e personalidades. Dá vontade de viver nesse mundo, assim como de ver outros filmes nesse contexto.

E é fofo, é muito fofo. Dá vontade de esmagar os bichinhos, de tão fofos que eles são. O mais legal é a reação em uníssono que enche as sessões de cinema a cada momento com “ownnn” e “nhó…” E você embarca junto — ri, se diverte e se derrete junto.

Com muitos acertos e alguns deslizes — como a performance dos atores “reais”, que é um dos pontos mais fracos do filme —, Pokémon: Detetive Pikachu se mostra até um pouco tímido em cenas de ação, completamente doido em sua trama e serve como um excelente aperitivo para uma possível (e tomara) longa franquia de filmes nesse maravilhoso mundo pokémon.

Este texto foi escrito por Mike Ale especialmente para o Minha Série.