Arrow: produtor comenta sobre o season finale da série

Minha Série
Imagem de: Arrow: produtor comenta sobre o season finale da série

Em entrevista ao EW, Marc Guggenheim comentou sobre a season finale de Arrow, que também marcou o encerramento da série da CW baseada nos quadrinhos da DC. Nessa conversa, o cocriador e produtor da atração falou sobre a entrega de um encerramento não convencional e sobre os desafios de abordar as diversas tramas de seus personagens. A estrutura do último episódio foi montada de modo não tradicional, pois começou com uma espécie de documentário para abordar os eventos dos capítulos de “Crise nas Infinitas Terras” — que uniu as séries: SupergirlBatwomanThe FlashArrow e Legends of Tomorrow.

Em sua montagem, o executivo solicitou à equipe de pós-produção todas as cenas deletadas para então “usar essa sequência no documentário como uma forma de contar à audiência as informações necessárias para o entendimento. Foi algo que pareceu certo”, disse. Já a cena final do episódio foi, de maneira inconsciente, inspirada no título dos quadrinhos da editora de mesmo nome, no qual alguns personagens foram movidos para uma dimensão paralela.

“Crise nas Infinitas Terras”. (Fonte: Batman News/Reprodução)

Outro desafio foi o de integrar Oliver Queen (Stephen Amell) na história, pois ele havia morrido há dois episódios, durante o evento “Crise nas Infinitas Terras”, algo que o cocriador não se arrependeu de ter feito. “Eu sempre soube que Oliver iria morrer, mas pensava que isso ocorreria na series finale”. Ainda, comentou que a mudança fez sentido, pois trouxe a mesma abordagem dos quadrinhos ao exibir mortes memoráveis.

Além disso, afirmou que esse acontecimento era necessário como parte da redenção do personagem, devido ao seu passado assassino, origem presente nos primeiros episódios de Arrow. “Uma das coisas que mais me orgulho é o fato de que Oliver parte de rico mimado para um assassino em massa, para um pai e marido, antigo prefeito, um herói público que não esconde sua identidade. Ele passa por severas mudanças em sua jornada, crescendo e evoluindo como ser humano, de modo que estou muito feliz em contar sua história”, completou.

Stephen Amell em Arrow. (Fonte: IMDb/Reprodução)

Ao relembrar de todo o período de exibição da atração, Guggenheim contou que a 4ª temporada gerou muito debate na sala dos roteiristas devido ao conceito de flash-forward, no qual era certo que alguém do enredo iria morrer, mas a equipe ainda não havia feito sua escolha nesse sentido.

“É engraçado, eu diria, que praticamente tudo gerou muito debate. É difícil pensar em um momento particular porque esse método sempre foi nosso processo. É bom discutir essas coisas e se perguntar: será uma boa ideia? É bom para o show? É bom e faz sentido para os personagens? Eu diria que, provavelmente, as piores ou mais controversas coisas que fiz foram aquelas que não vieram desse processo”.

Ao ser questionado se teria algo que gostaria de refazer ou aprimorar, Guggenheim foi categórico: “trabalho para a TV há 20 anos. Não há um único episódio ou alguma coisa que fiz que não gostaria de refazer”. Também afirmou que sentirá mais falta de escrever as histórias da série e de trabalhar com sua equipe. “O processo colaborativo foi ótimo, foram ótimas relações que vou manter, mas sentirei falta da rotina diária trabalhando com eles”.

O produtor Marc Guggenheim. (Fonte: IMDb/Reprodução)

Mesmo com a média de 22 episódios por temporada, o executivo relatou que isso não é o suficiente para desenvolver uma história. Isso porque, muitas vezes, as agendas de atores não batem com o momento certo de uma nova trama ou para o retorno de antigos personagens.

O produtor ainda indicou que buscou inspiração em outras séries para a conclusão de Arrow. “Definitivamente, Star Trek: The Next Generation, porque é o padrão de ouro de uma series finale. Como escritor, eu tenho mais experiência com os quadrinhos, por isso parecia que eu estava terminando uma série de HQ mais do que encerrando um programa de TV”.

Contudo, uma de suas maiores dúvidas era descobrir qual a principal tese que moveria a trama nesse período e qual o argumento ideal para reunir todos os fragmentos do enredo. A resposta veio enquanto ele estava na sala de edição e viu mais uma vez a famosa frase do protagonista no início dos episódios: “Eu voltei para casa com um objetivo: salvar minha cidade”. Isso, então, levou-o a concluir que Oliver de fato chegou ao seu objetivo às custas de um sacrifício.

Texto escrito por Ricardo de Carvalho Isídio via Nexperts.

Arrow: produtor comenta sobre o season finale da série