Ontem (22) a Microsoft apresentou o seu relatório financeiro referente ao primeiro trimestre fiscal de 2016, e os resultados da empresa foram melhores do que o esperado pelos analistas. A companhia teve uma receita de US$ 21,5 bilhões (cerca de R$ 84,8 bilhões), enquanto a expectativa era de pouco mais de US$ 21(cerca de R$ 82,7 bilhões).

No entanto, isso não impediu o corte de aproximadamente mil empregados do quadro de funcionários da empresa, o que representa menos de 1% de toda a força de trabalho da Microsoft. As demissões teriam acontecido em diversas áreas e em vários países, devido a adaptações que a companhia vem sofrendo para melhor se adequar às necessidades de seu modelo de negócios.

É importante lembrar que em julho deste ano a Microsoft já havia demitido 7,8 mil empregados, a maior parte no setor mobile, para tentar reduzir o tamanho do prejuízo que herdou ao comprar a divisão de dispositivos móveis da Nokia. Não há informações se as demissões mais recentes têm relação direta com esse fato, mas é pouco provável que esta seja a última vez em que ouviremos falar em redução de pessoal na empresa durante os próximos meses.

Você acha que os prejuízos causados pela Nokia ainda são o motivo para as demissões recentes na Microsoft? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: