Competição gera inovação. Pelo menos na área da informática isso nunca deixou de ser verdade. Porém, essa disputa acirrada pela maior fatia de mercado também tem o seu lado negativo e reflete, muitas vezes, em brigas públicas e pequenos “barracos” na imprensa especializada.

Logo abaixo você encontra uma lista das principais rivalidades da indústria e alguns detalhes das pancadarias que elas renderam. Preparado? FIGHT!

1. Samsung x Apple

É provável que você tenha acompanhado boa parte da peleja entre Apple e Samsung pelas notícias publicadas no Tecmundo. Mas caso você tenha perdido a saga, podemos resumi-la para você em uma única expressão: guerra de patentes.

Samsung Instinct, o comedor de maçãs (Fonte da imagem: Mark Evans Tech)

Apesar de a Samsung fornecer componentes eletrônicos para a Apple, como diversos chips que integram o iPhone e o iPad, as empresas passaram a se enfrentar desde 2008, quando a sul-coreana lançou o smartphone Instinct com o slogan “apple eater” (comedor de maçãs).

Depois disso, a desavença foi ficando cada vez pior. Em novembro de 2011, a Samsung atacou a Maçã com outra peça publicitária provocativa — desta vez, retratando consumidores fazendo fila em frente a uma Apple Store e incapazes de ver que o Galaxy S2 era melhor do que o iPhone a ser lançado.

Neste ano, a Samsung propagou ainda mais sua mensagem de combate à Apple ao veicular em pleno Super Bowl  o comercial sobre o Galaxy Note, que novamente aborda consumidores em fila na frente de uma Apple Store. Mas, desta vez, todos são libertados. Veja acima.

2. Sun Microsystem x Microsoft

Esta é uma rivalidade antiga e que já durou mais de uma década. O cofundador da Sun Microsystem, Scott McNealy, dedicou boa parte do seu trabalho a abalar a hegemonia da grande concorrente de sua empresa, a Microsoft.

McNealy (esq.) e Ballmer (dir.), de rivais a parceiros em alguns anos (Fonte da imagem: Microsoft)

Durante esse período, McNealy disparou diversas pérolas, sendo que muitas foram coletadas em um artigo da CNET. Entre as declarações mais famosas, estão chamar o Windows NT de “bola de pelo gigante”, o Windows ME de “Windows More Errors” e dizer que a MS era comandada por “Ballmer e Butt-head”. A própria sede da empresa e suas dependências eram chamadas por McNealy de “a besta de Redmond e seu império do mal”.

Do outro lado também não faltaram declarações de “amor”.  Ballmer, por exemplo, disse certa vez que “McNealy é monomaníaco sobre a Microsoft” e também que a “Sun é uma companhia burra” e com “gente de QI abaixo de 50”. Apesar disso tudo, as duas companhias entraram em um acordo de cooperação em 2004.

3. Apple x Microsoft

Esta é antiga, mas pode ser resumida com os fatos contados por Steve Jobs durante uma entrevista. De acordo com o site Mashable, a relação entre Apple e Microsoft começou com o lançamento do Apple II, que continha softwares da Gigante de Redmond.

Depois disso, o MS-DOS, da Microsoft, foi adotado pelos PCs da IBM em 1981. A Apple lançou o Macintosh em 1984, mas a empresa de Bill Gates já havia se tornado uma grande concorrente e, durante o lançamento do Windows 95, o sistema operacional da Microsoft já havia conquistado 90% dos PCs do mundo.

(Fonte da imagem: BetaNews/Notebookcheck)

A Apple nunca conseguiu recuperar essa fatia do mercado, mas deu a volta por cima no início da década de 2000, conquistando o mercado de dispositivos móveis. A Microsoft bem que tentou introduzir a ideia de um tablet 10 anos atrás, mas pelo visto, aquele não era o momento e nem o design ideal.

4. Apple x IBM

Nos anos 80, a antipatia da Apple pela sua principal concorrente, a IBM, era tão grande que a Maçã chegou a comparar a Big Blue com o Grande Irmão, o vilão do livro 1984, de George Orwell, em um comercial exibido durante o Super Bowl, um dos horários mais populares e mais caros da TV norte-americana.

 (Fonte da imagem: Reprodução/Target Trust)

Mais do que isso, Gates declarou que “se, por alguma razão, cometermos grandes erros e a IBM ganhar, a minha intuição diz que entraremos na Idade das Trevas para a computação por pelo menos 20 anos”.

5. Sony x Microsoft

Desde que a Microsoft entrou para o mercado de video games, a empresa tem tentado derrotar a Sony. O Playstation 2 deu o primeiro round da peleja para a Sony, mas a Microsoft se recuperou depois, com o lançamento do Xbox 360.

Recentemente, as duas companhias investiram no lançamento de controles que permitem uma interação maior com os títulos, por meio do movimento do corpo. O Playstation 3 tem o Move, acessório que foi analisado pelo Baixaki Jogos em 2011. Para concorrer com ele, a Microsoft lançou o Kinect, projeto que dispensa o uso de controles nas mãos do jogador.

Fãs defendem com propriedade o console de sua preferência (Fonte da imagem: Tech Junky)

A fabricante do Playstation, para não deixar barato, lançou um comercial em que tirava sarro do concorrente. “Quem quer fazer de conta que a mão é uma arma? Estamos na terceira série?”, dizia um personagem, em uma referência clara ao Kinect.

6. Apple x Dell

Esta foi uma briga engraçada. O CEO e fundador da Dell, Michael Dell, conseguiu irritar Steve Jobs, em 1997, ao declarar que, se ele estivesse no comando da Apple, “fecharia tudo e devolveria a grana para os acionistas”. Desde então, a Dell tem se defendido, alegando que essa frase foi tirada de contexto e que o que Michael tentou dizer foi que ele não seria CEO de outra empresa que não fosse a Dell.

É claro que as desculpas não colaram e, mais tarde, Jobs chegou a afirmar que a “Apple e Dell são as únicas fazendo dinheiro na indústria. Eles lucram sendo uma espécie de Wal-Mart. Nós lucramos pela inovação”. Um belo “tapa de luvas”, como diriam por aí.

7. Apple x Google

Poucas empresas irritaram tanto a Apple quanto a Google. O motivo? Lançamento do Android, sistema operacional para dispositivos móveis que Jobs acreditava ser uma cópia do iOS.

A ira do ex-CEO da Apple atingiu índices altíssimos, a ponto de Jobs fazer a seguinte declaração: “Eu vou destruir o Android porque ele é um produto roubado. Eu desejo que isso se torne uma guerra termonuclear... Eu vou até o meu último suspiro de vida, se eu precisar, e eu vou gastar cada centavo dos US$ 40 bilhões da Apple no banco para consertar esse erro”.

(Fonte da imagem: Reprodução/Google)

Mesmo depois de toda essa braveza, a Google homenageou o criador da Apple em sua página inicial, logo após o falecimento de Jobs.

8. AT&T x Verizon

A competição entre as duas operadoras telefônicas dos Estados Unidos nunca foi muito amigável. Entretanto, a briga esquentou um pouco mais em 2011, quando a Verizon também começou a vender o iPhone e tirou a exclusividade da AT&T.

Na ocasião, as duas empresas começaram a trocar algumas alfinetadas por meio de peças publicitárias. Um bom exemplo é o comercial da Verizon em que um técnico de testes inicia uma conversa usando um iPhone e diz “Sim, agora eu consigo te escutar”, querendo demonstrar que a comunicação melhorou com a nova operadora.

A resposta da AT&T foi um comercial dizendo que, pela Verizon, era impossível conversar no iPhone e navegar na internet ao mesmo tempo. Finalmente, a Apple tentou acalmar a peleja com um anúncio dizendo que “duas é melhor do que uma”. Pelo menos para a Maçã.

9. Apple x Adobe

 A esta altura, você já deve ter notado qual é a empresa que mais se envolve em rivalidade nesta lista, certo? Mesmo assim, a Apple não pensou duas vezes antes de comprar briga com a Adobe. O motivo, é claro, só poderia ser o Flash, ferramenta que Steve Jobs não tinha muito apreço e que deixou de ter suporte nos gadgets da Apple.

O ex-CEO da Maçã chegou a declarar que a Adobe “tem todo o potencial para fazer coisas interessantes, mas eles se negam a fazer... Sempre que um Mac trava, frequentemente é por causa do Flash”.

Anúncio feito pela Adobe sobre a retirada do Flash no iPhone (Fonte da imagem: Reprodução/New York Times)

Inicialmente, a Adobe combateu as declarações de Jobs com um anúncio que dizia “Nós amamos a Apple”, mas “O que nós não amamos é que qualquer um tente tirar a sua liberdade na hora de escolher o que você vai criar, como vai criar e o que você quer ver na internet”.

Com o passar do tempo, a briga foi se apagando e, em 2011, a Adobe até mesmo publicou um anúncio que demonstrava um iPad sendo usado como plataforma de um de seus produtos.

10. Electronic Arts x Valve

É notório o crescimento da Valve, principalmente graças ao Steam. A plataforma de venda de jogos conquistou o público com seus preços para lá de atrativos. Com isso, a pirataria diminuiu substantivamente e acabou criando-se praticamente um novo ponto de encontro para jogadores — sejam casuais ou hardcore. O problema é que a gigantesca Electronic Arts pode não ter gostado muito do ritmo das coisas.

A EA, talvez na tentativa de desbancar a Valve, lançou um concorrente no ano passado: o Origin. A semelhança é notável e a intenção é a mesma: a comercialização de games no formato digital, porém priorizando os títulos da empresa californiana.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

A Electronic Arts já tentou adquirir sua concorrente várias vezes, com valores que podem superar 1 bilhão de dólares. É difícil saber o que pode acontecer nos próximos anos, mas Peter Moore — gerente de operações da EA — já afirmou que não existe rivalidade. Será?

Fontes: Investors.com, CNET, Microsoft, Mark Evans Tech e Mashable