Microsoft e AMD formaram uma parceria para trabalhar no desenvolvimento de uma plataforma para jogos em nuvem ou streaming de games. Ambas as empresas confirmaram o projeto em conjunto, mas não deram detalhes acerca do que exatamente estão planejando construir.

Uma das possibilidades mais discutidas na dimensão dos rumores seria uma próxima geração do Xbox com duas versões distintas. Um dos consoles seria tradicional, com alto poder de processamento gráfico instalado localmente para os jogos tradicionais, e o segundo modelo seria um aparelho mais básico focado no streaming de games pela nuvem. Nenhuma das empresas confirmou seus reais objetivos.

Adoro o fato de estarmos tentando prever o futuro

“Nós fizemos uma parceria com eles em consoles de videogame. Acho que temos uma visão da direção que está tomando a computação em nuvem e estamos trabalhando de perto com eles. A coisa mais interessante dos semicondutores é que estamos tomando decisões agora que você só verá em prática daqui a três, quatro ou mesmo cinco anos. Adoro o fato de estarmos tentando prever o futuro e tomara que nossas decisões acabem sendo acertadas”, comentou Dr. Su, CEO da AMD ao PCGamesn.

Essa fala é enigmática, mas pode indicar que, enquanto a AMD tenta resolver os problemas de hardware que podem aparecer no futuro, em uma eventual popularização do streaming de jogos, a Microsoft deve focar na tecnologia de transmissão e entrega dos produtos diretamente ao consumidor.

Streaming de games?

O streaming de games ou "jogos em nuvem" não é exatamente um conceito novo. Ele começou a ser desenvolvido em 2000 e, desde então, diversas empresas surgiram com ideias minimamente distintas de como popularizar a transmissão de jogos online, mas nenhuma teve sucesso substancial até o momento.

Contudo, há vantagens bem óbvias. Consoles e computadores precisam de hardware bem mais simples e muito mais barato para lidar com o streaming dos mesmos títulos que um aparelho precisaria para dar conta disso localmente.

Assim, um console de US$ 100 dólares no futuro poderia ser o suficiente para rodar os games mais populares da atualidade. Contudo, instabilidade de conexões domésticas com a internet e tecnologias de transmissão com lag ainda impedem a adoção em larga escala dessa novidade.