Imagem de: SEC tem lá suas dúvidas sobre proteção ao investidor nos fundos de bitcoin
Fonte: Pixabay

SEC tem lá suas dúvidas sobre proteção ao investidor nos fundos de bitcoin

1 min de leitura
Avatar do autor

A criação de fundos de criptomoedas e o investimento nesse tipo de dinheiro virtual seguem na mira dos governos e órgãos reguladores pelo mundo. Na semana passada, uma das comissões mais importantes dos EUA questionou os fundos ligados a bitcoins e outras criptomoedas sobre a proteção ao investidor.

De acordo com um comunicado da Comissão de Valores Mobiliários norte-americana (SEC, na sigla em inglês), há mais de 30 "questões pendentes significativas sobre como os fundos que detêm quantidades substanciais de criptomoedas e produtos relacionados satisfazem os requisitos da Lei de 1940 e suas regras".

A tal da lei de 1940 é uma das legislações que formam a espinha dorsal do regulamento de operações financeiras dos EUA. Nas entrelinhas, a comissão quer garantir a proteção dos investidores.

Riscos

A comissão tem lá suas dúvidas sobre como os fundos vão armazenar, proteger e precificar o ativo. Para a SEC, há ainda a questão dos investidores – que podem não entender os riscos do investimento em criptomoedas. A disparada no valor da moeda fez com que leigos fossem atraídos para as moedas virtuais e suas flutuações levantam temores de que esse mercado pode ser manipulado.

No Brasil, a negociação de Bitcoin foi proibida por fundos de investimento por um órgão similar ao SEC. Mas, pessoas físicas podem comprar seus bitcoins por aqui e a realidade é que o brasileiro prefere investir na criptomoeda do que na bolsa.

Curtiu o texto? Saiba que isso é só um gostinho do que é publicado diariamente na newsletter do The BRIEF, que traz as principais notícias do mercado de tecnologia pra você, todas as manhãs. É serious, é business, mas com um jeitão bem descontraído (#mozão). Para assinar, é só clicar ali -> aqui

SEC tem lá suas dúvidas sobre proteção ao investidor nos fundos de bitcoin via The Brief

Categorias

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
SEC tem lá suas dúvidas sobre proteção ao investidor nos fundos de bitcoin