(Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock)

Você está navegando na internet, passando pela sua timeline no Facebook, lendo algumas notícias no Tecmundo e baixando um dos novos programas publicados pelo Baixaki, enquanto escuta música.

De repente, ao transitar entre as abas do navegador ou abrir o player de música para avançar a faixa em execução, o computador apresenta um comportamento estranho: leva vários segundos para realizar a ação, até que em um momento ele fica completamente paralisado.

É bem possível que em uma situação como essa muitas pessoas cheguem à imediata conclusão de que a máquina está precisando de mais memória RAM e já comecem a pesquisar o preço de mais um pente com 2 GB ou 4 GB. Mas será que adicionar RAM sempre vai deixar o seu PC mais rápido? É exatamente isso o que vamos tentar desmistificar neste artigo.

RAM não é a resposta para todos os seus problemas

Sendo bastante objetivos, a resposta para a pergunta que dá título a esta matéria é: não. Colocar mais e mais memória RAM toda a vez que o computador dá um sinal de lentidão não significa necessariamente que a sua máquina vá apresentar um aumento de desempenho — embora, em alguns casos, um pouco mais de RAM possa ser suficiente para “desafogar” o PC e mantê-lo utilizável.

(Fonte da imagem: Divulgação/Corsair)

A memória RAM acessa os dados de forma não sequencial. Qualquer setor livre encontrado é preenchido com a nova informação a ser processada pela CPU, acelerando em muito os procedimentos de leitura e escrita. Outra peculiaridade deste componente é a sua volatilidade, o que significa que todos os dados armazenados nele podem ser perdidos quando o computador é desligado.

Assim, basicamente, a RAM funciona como um mecanismo de apoio para o processador, armazenando os dados mais utilizados pelos programas em uso e colaborando para a transferência deles pelo disco de armazenamento permanente (ROM). Como você deve ter percebido, a memória RAM atua em completa cooperação com outros componentes.

Dessa forma, ela não é a única responsável pela velocidade do PC. Em outras palavras, não adiantaria você colocar 12 GB de RAM no computador se o HD e a CPU dele estão ultrapassados. Para saber mais detalhes do que é e como funciona a memória RAM, não deixe de conferir este e este outro artigo.

Eu realmente preciso de mais do que 4 GB de RAM?

Esse segundo questionamento que levantamos nesta publicação é ainda menos “exato”. Na verdade, a resposta para ele depende do seu perfil de utilização do computador. O que podemos dizer é que a maioria dos computadores comparados há dois ou três anos provavelmente possui memória RAM suficiente para suportar a rotina de usuários comuns — como explorar a web, reproduzir músicas e vídeos ou editar documentos de texto.

Atualmente, é difícil encontrar um computador novo à venda que possua menos do que 2 GB de RAM — quantidade satisfatória para as atividades mencionadas no parágrafo anterior. Contudo, existe uma enorme variedade de modelos com preços acessíveis que trazem 4 GB de memória de acesso aleatório (do inglês Random Access Memory).

(Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock)

Tais computadores já aguentam um cotidiano mais exigente, incluindo o uso de editores de imagem profissionais, o processamento de um número grande de tarefas simultâneas e a jogatina de alguns jogos mais recentes e pesados — embora, como já vimos antes, existam outros componentes essenciais para que todas essas atividades sejam desempenhadas de forma satisfatória.

Você realmente necessitará de 6 GB, 8 GB ou mais de memória RAM caso pretenda realizar atividades extremamente exigentes da máquina, como editar vídeos profissionalmente, ou deseje jogar os games recém-lançados e cheios de detalhamento gráficos com todas as configurações no “máximo”.

O que fazer para ter um PC mais rápido?

Conforme já explicamos, entupir o computador de memória RAM não é garantia de obter um PC mais veloz e eficiente. Se você está tendo problemas para rodar o Photoshop ou máquinas virtuais, por exemplo, é possível que adicionar mais RAM ao seu computador resolva os travamentos.

Mas, para tornar a sua máquina efetivamente mais rápida, o ideal seria investir também em um processador mais moderno e um disco de armazenamento SSD. Apesar de muitas pessoas não acreditarem, a presença de um SSD pode fazer muita diferença, como pudemos comprovar nesta matéria que publicamos este ano.

Lado a lado estão um disco rígido (esquerda) e uma unidade SSD (direita). (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

De acordo com nossos testes, você nem precisa comprar um disco SSD com 500 GB, por exemplo, para substituir o disco rígido convencional (componente que tem um elevadíssimo custo no Brasil). Adotando uma unidade de menor tamanho, 32 GB ou 64 GB, em paralelo com o HD comum já pode oferecer uma performance melhorada bastante relevante.

Dicas para não colocar a mão no bolso

Em vez de tentar resolver a lentidão do seu PC por meio de componentes de hardware, você pode amenizar esse problema via software e, assim, evitar gastar dinheiro desnecessariamente. Abaixo você conta com algumas sugestões de leitura para isso: