Kim Dotcom se livra de evidências obtidas ilegalmente na Nova Zelândia. (Fonte da imagem: Reprodução/Reuters)

O tribunal máximo da Nova Zelândia deve obrigar a agência de espionagem daquele país a entregar a Kim Dotcom o material de áudio e vídeo obtidos dele através de vigilância ilegal por parte do governo. Com isso, Dotcom poderá utilizar essas “evidências” para evitar que ele e seus assistentes sejam extraditados para os Estados Unidos, onde podem ser presos pelo FBI.

Em terras norte-americanas, Dotcom e seus assistentes são acusados de lavagem de dinheiro, pirataria e outros tipos de fraude.

O empresário foi preso em janeiro deste ano, quando um verdadeiro exército invadiu sua mansão, e o caso se estende até hoje com vários desdobramentos importantes. Contudo, o último fato marcante do caso foi um representante do governo neozelandês pedindo desculpas oficialmente a Dotcom por conta da espionagem ilegal.

Com a eliminação dessas evidências e o acesso do empresário ao material, a extradição de Dotcom foi adiada para julho do ano que vem.

Cupons de desconto TecMundo: