Chip serve como retina sintética e permite ver a intensidade da luz (Fonte da imagem: Reprodução/Inovação Tecnológica)

Médicos australianos conseguiram implantar um pequeno dispositivo na retina de uma paciente que a fez enxergar a intensidade da luz. O chamado olho “pré-biônico” é uma espécie de protótipo que está sendo usado em pessoas que sofreram de retinite pigmentosa ou doenças similares.

Esse tipo de paciente foi escolhido para testar o equipamento pelo fato de essa doença não afetar os neurônios que recebem as informações da camada exterior do olho. Assim, um chip equipado com 24 eletrodos é implantado atrás da retina da pessoa e fica responsável por interpretar as variações da luz.

O protótipo faz parte do primeiro teste clínico feito com dispositivos do gênero, que devem evoluir para verdadeiras “câmeras” no futuro. Assim, o próximo passo da Universidade de Melbourne é colocar um aparelho similar ao atual, com mil eletrodos a mais, em uma retina humana, possivelmente gerando imagens de verdade.

O implante é feito na extremidade interna da retina do olho humano e se conecta aos neurônios presentes. Além disso, existe um minúsculo cabo que liga o aparelho a outros componentes externos atrás da orelha do paciente.

Fonte: Inovação Tecnológica

Cupons de desconto TecMundo: