A WWDC deste ano chegou com muitas novidades para os fãs da Apple. Os dois principais anúncios do evento foram o OSX 10.10 Yosemite e o iOS 8. Ambos receberam uma grande quantidade de recursos e talvez a maior mudança seja a proximidade entre o desktop e as plataformas móveis da empresa, que agora é maior do que nunca.

A inspiração no iOS está em todos os pontos da nova versão do sistema operacional. O tema principal do Yosemite é a continuidade — isso porque a empresa deu bastante enfoque aos serviços compartilhados entre os aparelhos.

Visual renovado

O Yosemite puxou muito do visual do iOS 7 (e 8) para a sua interface. Saem de cena as texturas e gradientes e entra o visual moderno e simples dos sistemas móveis da Apple. Tudo é muito mais plano que antes, inclusive ícones e janelas.

A interface do sistema agora possui efeitos de transparência. Segundo a Apple, isso deve ajudar você a organizar melhor os itens na tela. Um dos exemplos disso é a barra de tarefas, que passa a ter a mesma cor de fundo do seu papel de parede.

As barras de tarefas presentes em diversos apps foram simplificadas, facilitando a navegação dentro dos aplicativos, mas sem sacrificar os recursos e a produtividade. Uma das principais vantagens disso é liberar mais espaço para a utilização dos softwares, aumentando a “área útil” do programa e removendo da tela elementos dispensáveis.

Os famosos botões de controle vermelho, amarelo e verde foram atualizados e receberam novas funções. Agora, o vermelho pode fechar o aplicativo, o amarelo minimiza e o verde coloca a janela em tela cheia. Com isso, o botão específico para tela cheia desaparece da interface, deixando mais espaço livre e simplificando os comandos.

O tradicional dock ganhou ícones personalizados e redesenhados para seguir a nova linha visual do Yosemite. Isso garante que o sistema tenha um ar mais leve e harmonioso, segundo a Apple.

A Apple também teve algum trabalho com as fontes do sistema. A empresa redesenhou as letras para que elas pudessem combinar mais com o novo visual, além de ficar melhor nas telas Retina dos novos computadores da Maçã.

O sistema de pesquisas Spotlight agora aparece no centro e sempre na frente de outras janelas quando aberto. O sistema também ficou mais intuitivo e mais inteligente: ele pode encontrar itens em diversos locais diferentes, inclusive na web. Tudo é bastante integrado no sistema: você pode ler um documento, enviar um email ou realizar uma chamada telefônica apenas ao clicar em um resultado da busca.

A central de notificações agora pode receber widgets personalizados — que podem ser baixados na Mac App Store — com informações importantes sobre praticamente qualquer assunto: agenda, tempo, mercado de ações e muito mais.

As modificações visuais não foram implementadas apenas com o objetivo de deixar o sistema mais elegante e bonito. Segundo a Apple, a ideia era deixá-lo mais prático e funcional, removendo itens desnecessários e implementando recursos poderosos. Além de moderno, agora ele é mais eficiente.

Aplicativos embarcados

A Apple se orgulha em dizer que o OS X já vem “pronto” de fábrica, ou seja, você liga o computador pela primeira vez e já tem uma série de aplicativos de todos os tipos para começar a trabalhar. E no Yosemite isso não será diferente. A nova versão do SO deve trazer os mesmos aplicativos de antes, mas todos remodelados para funcionar de forma mais eficiente no novo sistema. Além, é claro, de novidades.

Um dos exemplos é o Safari, que agora possui uma barra de tarefas simplificada e mais eficiente. Ele também é compatível com os últimos padrões da internet, sendo mais rápido e seguro do que antes.

A nova lista de sites favoritos é mesclada com a barra de busca do Safari. Basta um clique para que uma tela traga os ícones de seus sites favoritos. Um novo modo de visualização de abas abertas mostra quais páginas estão na memória. É só clicar sobre alguma para maximizar a janela.

Um detalhe importante nessa nova versão é uma melhor integração com sistemas de busca. Ao procurar por algo, o Spotlight pode fazer sugestões com base na Wikipedia ou no Mapas, por exemplo. Além de, é claro, sugestões do Google. Tudo é mesclado na mesma interface e realmente facilita a navegação.

O Safari também ficou bem mais rápido. A nova versão deve trazer um motor JavaScript otimizado, o que deve deixar o sistema mais rápido e também ajudar para que o software seja mais eficiente energeticamente. A Apple afirma que a nova versão deve garantir que atividades como vídeos online (como Netflix) possam durar algumas horas a mais.

O programa de emails do OS X também recebeu novidades. A principal delas é o Mail Drop, um recurso que garante que arquivos de qualquer tamanho possam ser enviados sem problemas. Isso porque emails que tenham anexos grandes agora são enviados diretamente para o iCloud. Quando o destinatário receber a mensagem, ele poderá baixar esse anexo sem problemas. O limite é de até 5 GB por mensagem, ou seja, dificilmente você vai precisar redimensionar as “fotos da festa” porque o provedor de emails não consegue lidar com arquivos grandes.

Um outro detalhe interessante é Markup, um minieditor que permite que você realize pequenas alterações nas imagens diretamente no corpo do email e retorne ao remetente logo em seguida, sem a necessidade de editar esse anexo externamente.

O Finder recebeu integração total com o iCloud. Isso significa que você pode acessar a sua conta de armazenamento online a partir da interface do sistema como se fosse uma unidade de disco qualquer. Navegar pelas pastas, copiar ou editar arquivos do iCloud pode ser feito de maneira rápida no Yosemite.

Isso garante que esses arquivos possam ser compartilhados entre o seu Mac e entre os seus iGadgets em tempo real. Edite uma imagem no Mac para ter a sua versão remodelada imediatamente no iOS.

Integração entre as plataformas

A integração entre as plataformas da Apple agora oferece o AirDrop para o compartilhamento de arquivos entre sistemas diferentes — você pode enviar um arquivo do Mac para o iPhone, ou vice-versa, com poucos movimentos.

O aplicativo de mensagens do seu iPhone agora está completamente integrado com o OS X. Basta ter um iPhone por perto para enviar mensagens aos seus contatos diretamente a partir do seu computador Mac. Isso inclui até mesmo mensagens no formato SMS, caso algum deles não tenha um aparelho compatível com o iMessage. O sistema também aceita mensagens sonoras e grupos.

Através do Yosemite, o Mac pode ser uma extensão do iPhone. Você pode literalmente atender chamadas telefônicas diretamente do seu computador, bastando que ele esteja por perto.

Funciona assim: o seu telefone toca e imediatamente um aviso surge na tela do Mac, no qual é possível atender ou ignorar a chamada. O mesmo pode ser feito para a realização de ligações: basta acessar o app, discar e telefonar sem precisar tirar o iPhone do bolso, ou até mesmo se ele estiver fora do seu alcance, recarregando a bateria, por exemplo.

O Handoff é mais uma ferramenta para integrar as plataformas da Apple. Imagine que você começou a escrever um texto no seu Mac, mas precisa sair. Basta abrir o mesmo programa no seu iPad para continuar exatamente de onde parou no desktop. Esse recurso já será compatível com a maioria dos softwares nativos já instalados no Yosemite. Além disso, desenvolvedores podem adaptar facilmente o Handoff aos seus aplicativos.

O iPhone agora pode ser utilizado como um hotspot para o seu Mac. E o melhor de tudo: não é preciso configurar nada. Caso a sua máquina esteja sem acesso à internet, basta selecionar o iPhone na lista de conexões do Mac. É claro que o seu aparelho precisa ter acesso à internet para isso funcionar.

O programa de Beta testers do Yosemite já começou. Quem quiser sair na frente e ser um dos primeiros a testar o novo sistema operacional deve acessar esse site e se cadastrar.

A versão final do Yosemite deve chegar no final deste ano.

Cupons de desconto TecMundo: