“3 mil pessoas fazem fila em Singapura para comprar o novo iPhone 3GS.” Uma manchete como esta poderia surpreender muita gente, em pleno ano de 2009, se já não fosse uma espécie de tradição. A cada lançamento da Apple, uma das mais bem sucedidas empresas do Vale do Silício, milhões de fãs vão à loucura e fazem de tudo para comprar o novo produto em primeira mão ou conseguir estar na mesma sala de Steve Jobs, o guru da tecnologia.

Este homem revolucionou os computadores, a música e, mais recentemente, o telefone. Foi um dos responsáveis por tornar os computadores, máquinas complexas e limitadas, em ferramentas fantásticas que hoje fazem parte da vida de bilhões de pessoas ao redor do globo.

Para alguns, Jobs é um homem bem sucedido e bastante criativo, o que já lhe rende grande dose de respeito.

 Entretanto, para alguns fãs, Steve Jobs ganha uma aura iluminada, assumindo uma posição divina que, até hoje, só foi ocupada por Jesus Cristo, Buda e figuras religiosas milenares.

A evolução.

Se a Apple era apenas uma empresa que desenvolvia computadores e gadgets eletrônicos, agora faz parte de um culto de silício e bytes, em que o dízimo é depositado em Igrejas de vidro, a cada novo produto. Os seguidores alucinados, capazes de enfrentar longas filas e pagar caro para ter a chance de ver de perto todas as novidades criadas pela empresa de Cupertino.



Uma brincadeira já conhecida dos fãs da maçã consiste em comparar Meca, a cidade onde teria nascido Maomé, à feira de inovações e lançamentos da Apple, que acontece todos os anos. “Se os muçulmanos vão à Meca, nós vamos à Macworld.”

iSexy

Realmente sexy!

Imagem do filme "As bonecas russas", em que o personagem Xavier Russeau aparece usando um MacBook.

Basta comprar uma revistinha qualquer que traga fofocas sobre artistas do Brasil e do mundo e dar uma folheada. Se você for atento, irá perceber que aquela moça do cinema foi fotografada correndo no parque e estava com um fone branco no ouvido. Para bom entendedor, um fone branco basta!  Mais além, aquele rapaz que atuou em seu seriado favorito foi clicado no aeroporto e, sobre suas pernas, estava um laptop bonito, diferente, com uma maçã brilhando! Adivinha? É um MacBook Pro! 



Celebridades de todo o mundo já aderiram aos MacBooks, não vivem sem seus iPods e o iPhone está sempre na bolsa. O fato é que os produtos da Apple, cuja fama e glamour acabam se concentrando nestes três produtos já mencionados,  tornaram-se objeto de status e poder. Afinal, ir para a academia ouvindo suas músicas em um iPod ou ir a um Cyber Café e tirar seu MacBook da mochila é muito sexy.

iGeek

Os nerds estão provando o gostinho da vitória e usar óculos fundo de garrafa e camisa xadrez já não é mais motivo de vergonha. Mesmo assim, se você pensa que, nas quilométricas filas para a compra do novo iPhone ou na própria MacWorld você só irá encontrar tipos tímidos com óculos fundo de garrafa e roupas esquisitas, está muito enganado.

Ser um seguidor da Apple não implica levar um estilo de vida nerd. Pessoas de todo o tipo, estilo, cor, opção sexual e gosto musical fazem da comunidade de fãs da Apple, um verdadeiro culto à diversidade. 

Mesmo com os diferentes estilos, muitos fãs da marca têm orgulho em sair por aí com uma maçã estampada na camisa ou, para os mais radicais, uma tatuagem.

Muitas maçãs!

É só pesquisar as palavras "Apple Tattoo" no mecanismo de buscas do Google para encontrar milhões de tatuagens da maçã.

Não se espante, existe muita gente  que resolveu homenagear a marca da maçã com uma bela tatuagem. E isso é comum de ser visto nos encontros dos fãs, que acontecem todos os anos na Macworld ou nas filas para a compra do novo iPhone.



Macmaníacos

Desde os princípios da Apple, sempre existiram seguidores: adoradores de tecnologia que depositavam toda a sua confiança e esperança na empresa de Cupertino. Desde 1970 até hoje, os chamados MacManíacos estão à solta, colecionando informações sobre a Apple, sempre atentos às novidades e loucos para converter os usuários Windows.



Documentário sobre fãs do Mac.Nos Estados Unidos, estes usuários fanáticos são chamados de MacHeads e, mais recentemente, foram tema de um documentário dirigido por Kobi e Ron Shely. Durante as cenas, é possível perceber com clareza que boa parte do sucesso da Apple se deve aos fãs, que foram capazes de criar uma comunidade sólida e com grande interesse em difundir a marca e ostentá-la no peito como uma espécie de religião.

Você conhece alguém que está sempre ligado no que rola em Cupertino e fica à beira de um ataque cardíaco toda vez que vê alguém usando o Windows? Atenção, este sujeito pode ser o que se costuma chamar de MacManíaco ou, se preferir, um Mac Chato. 



Não importa se você o conhece faz tempo ou se tropeçou nele em um café da esquina, o MacManíaco coloca a Apple em primeiro lugar e geralmente não aceita ouvir críticas sobre os produtos da empresa. Se você ainda usa seu velho laptop com Windows, cuidado: ele pode perturbar você até que concorde em comprar um MacBook e, se duvidar, ele ainda faz a pesquisa de preço e se oferece para ensinar o básico!

Nos fóruns de discussão, ele é o cara que diz que Windows é uma porcaria e que só a Apple salva. Tudo bem, o Mac OS X é um sistema operacional fantástico, mas o Windows também tem suas vantagens. Os MacManíacos muitas vezes levam a Apple como uma religião e, infelizmente, podem ser bastante ortodoxos  neste aspecto. 


Apesar do alerta, nem todos os usuários ou fãs do Mac são assim, então, quando você ver alguém com um iPhone ou MacBook, não precisa atravessar a rua ou esconder seu laptop na mochila.

Once you go Mac, You never go Back...

(uma vez Mac, você nunca muda de ideia)

Apesar do fanatismo de alguns usuários e o status representado por seus produtos, a Apple é uma empresa fantástica que tem muito a oferecer a nós, pobres mortais usuários da tecnologia. O Mac OS X é um sistema operacional excelente, o iPod é um sucesso de vendas e o iPhone revolucionou a tecnologia, mas isso todos já sabem.

A moda geek está aí e nada impede que você saia na rua com uma camisa da Apple ou faça parte de uma longa fila para a compra do iPhone. Só tome cuidado para não se tornar um Mac Chato. A idolatria da marca já foi motivo de brigas em muitos fóruns de discussão e fez com que o famoso colunista Jason Cross opinasse: “O que mais odeio ao usar o Mac são os fãs da Apple.”

Um verdadeiro templo.

A Apple Store na 5a Avenida, em Nova York. Um verdadeiro templo para a maçã.

Seja na religião propriamente dita, no futebol ou na tecnologia, fanatismo nunca é saudável. Mesmo assim, o fenômeno MacHeads é algo bastante interessante. Afinal, você já deve ter visto seu primo brigando por causa de times de futebol ou seu pai participando de acaloradas discussões políticas, mas ser maluco por uma marca de computador?!

Se você leitor, independente do sistema operacional que utiliza, quiser ter uma visão mais aprofundada deste culto à maçã, vale a pena assistir ao documentário já mencionado, “MacHeads”. A parte ruim é que ele não foi lançado no Brasil e não possui legendas disponíveis em português.



A Apple passou de uma simples empresa de tecnologia para  objeto de culto, infiltrando-se no dia-a-dia como uma peça da cultura pop. Seja você um MacManíaco, MacHead, Mac Chato, usuário Mac, Mac Curioso ou usuário Windows, é preciso admitir que a Apple é incrível e querer converter usuários Windows a qualquer custo é apenas um ato de bom coração, afinal, se o Mac OS X é um sistema operacional tão bom, por que você ainda sofre com as inúmeras desvantagens do SO de Bill Gates?

Agora é a sua vez de botar a boca no trombone: você é usuário Mac? Conhece algum MacManíaco? O que acha sobre o estilo de vida Apple? Comente agora mesmo!

Cupons de desconto TecMundo: