Apesar de não serem feitos exatamente para isso, os dispositivos eletrônicos portáteis acabam, vez ou outra, salvando a vida de algumas pessoas em acidentes que, de outra forma, seriam fatais. O mais recente deles envolve a tragédia ocorrida dentro do aeroporto de Fort Lauderdale, na Flórida, na última sexta-feira (6), quando um sujeito armado abriu fogo contra o público, deixando ao menos cinco mortos e diversos feridos. Um rapaz, no entanto, afirma que seu MacBook Pro impediu que ele fosse contabilizado na lista de vítimas do ataque.

Não é de hoje que um celular na bolsa ou dentro do bolso da camisa acaba fazendo com que um projétil perca a sua força e poupe a vida de um cidadão, geralmente protegendo a vítima de um disparo frontal. No caso de Steve Frappier, no entanto, o tiro veio de um ângulo bem desfavorável e só foi desviado suficientemente por conta do tamanho e da estrutura do notebook da Apple – mostrando que uma boa dose de sorte pode ser, sim, a sua maior aliada.

Caso do "MacBook salvador" ganhou destaque na CNN

Ele se recorda que sentiu algo acertar suas costas

De acordo com a entrevista que o norte-americano deu à CNN, ele estava próximo à esteira de retirada de bagagens quando ouviu os primeiros tiros feitos pelo atirador – posteriormente identificado como Esteban Santiago, de 26 anos. Assim, a sua primeira reação foi se jogar ao chão e torcer pelo melhor, esperando que a mochila que vestia oferecesse ao menos um pouco de proteção contra o ataque. Nesse momento, ele se recorda que sentiu algo acertar suas costas, mas, inicialmente, achou se tratar de alguma mala caindo em cima dele.

A verdade, porém, foi bem mais sombria. “Só mais tarde [...] descobri que uma bala tinha entrado na minha mochila e acertado o meu laptop”, explicou o jovem ao canal de notícias. Percebendo o que tinha acontecido, Frappier entregou todo esse material para o FBI, que, depois de uma breve análise, confirmou que o projétil de 9 mm realmente passou por uma abertura na mochila e acertou a tela do computador, desviando pelo corpo de alumínio e pela bateria do aparelho antes de escapar por uma das saídas de ar laterais.

Decisão (acertada) de última hora

Segundo o entrevistado, ele estava usando o MacBook durante o voo e colocou o equipamento rapidamente na mala – sem fechá-la direito – na hora do desembarque, coincidentemente criando a situação perfeita para que o gadget salvasse a sua vida. “O modo como a bala ricocheteou e entrou na mochila... Era para ter sido as minhas costas”, analisou o norte-americano.

FBI ainda tenta entender o que levou o suspeito a começar o tiroteio

Enquanto Frappier provavelmente pode acabar recebendo uma peça de reposição da Apple se depender das postagens de internautas feitas nas redes sociais – o que não é incomum, dada a recepção positiva do público diante de ações como essas –, a polícia dos EUA ainda tenta entender as motivações por trás do ataque de Santiago, que segue detido pelas autoridades locais.

Cupons de desconto TecMundo: