O presidente relacionou o tema saúde ao seu discurso. (Fonte da imagem: Reprodução/TheVerge)

Em declaração feita nessa quarta-feira (04), o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que não pode ter um iPhone “por razões de segurança”. A revelação foi seguida de uma crítica destinada aos jovens. “Não sei qual é o valor das suas contas, mas percebi que Sasha e Malia parecem passar muito tempo ao telefone”, disse o presidente (que, apesar de não poder ter um smartphone, tolera o uso dos dispositivos por parte de suas filhas).

Além dessa alfinetada, Obama falou também sobre a relação entre o dinheiro gasto com serviços básicos e aquele destinado ao pagamento de produtos “não fundamentais”. “Acho que muitos de vocês gastam, entre a conta de televisão por assinatura e telefone, mais de US$ 100 por mês. Vocês são inteligentes o bastante para não abrir mão da segurança de um seguro médico por um custo menor”, observou Obama.

As recomendações feitas referem-se sobretudo à reforma na saúde prometida pelo presidente – que depende em grande parte do apoio da fatia mais jovem da população. Importante dizer ainda que este foi o segundo discurso de Obama feito em dois dias sobre o lançamento do portal “Healthecare.gov” – site que dará acesso ao plano de saúde dos norte-americanos.

Curioso lembrar que, na época em que assumiu a presidência, o político lutou arduamente para manter em um de seus bolsos um BlackBerry. Um dos modelos deste dispositivo é bastante popular entre os membros dos serviços especiais de segurança dos EUA – o BlackBerry em questão evita, por exemplo, que uma geolocalização seja efetuada.

Cupons de desconto TecMundo: