Enquanto a Google amplia os recursos do seu Drive com a liberação do aplicativo Backup and Sync – que permite que arquivos de qualquer pasta do seu computador possa ser armazenada na nuvem –, a Microsoft parece seguir o caminho contrário com o OneDrive. Ao que parece, alguns usuários da plataforma cloud da empresa começaram a receber uma mensagem no mínimo irritante após a última atualização do programa: a sincronia de documentos só funciona com HDs formatados em NTFS.

Com isso, clientes que ainda usam discos FAT32 ou fazem backup diretamente de cartões SD – que geralmente trabalham com o formato exFAT – precisam converter esses espaços de armazenamento para continuar usufruindo do serviço. Ok, isso não deve afetar grande parte das pessoas, já que há um bom tempo o NTFS é um padrão para sistema de arquivos do Windows, mas não deixa de ser um problema bastante inconveniente.

Poxa, Microsoft!

Tudo indica que não se trata de nenhum bug do produto, mas sim de uma decisão consciente da Microsoft, que pode estar preparando o terreno para a próxima grande atualização do Windows 10. Aparentemente, o Fall Creators Update fará com que o OneDrive seja integrado totalmente com o sistema operacional, tratando arquivos locais e remotos da mesma forma. A especulação em torno disso é que os formatos FAT não teriam suporte a esse tipo de tecnologia, obrigado a MS a exigir que seus clientes migrem definitivamente para o NTFS.

O ReFS também é negado pela nova atualização da cloud da Microsoft

O grande mistério de toda essa história? Tanto o update do OneDrive quanto a sua futura adição ao Windows podem acabar deixando de fora o mais novo modelo de sistema de arquivos da casa: o ReFS. Usado principalmente em conjunto com armazenamentos maiores ou discos que operam de forma redundante, o formato também é negado pela nova atualização da cloud da Microsoft. Será que a ideia era que o ReFS tivesse uma vida curta mesmo?