Após um determinado tempo de treino, a inteligência artificial começou a desenvolver – por conta própria – uma linguagem única

Depois da inteligência artificial da Google ter criado sonhos próprios e totalmente únicos, chegou a vez dos bots do Facebook também realizarem uma façanha. Segundo relatou o laboratório Facebook Artificial Intelligence Research (FAIR, ou Pesquisa de Inteligência Artificial do Facebook), uma linguagem própria estava sendo desenvolvida pelos bots da plataforma e foi descoberta durante testes para melhorar o funcionamento deles.

Aconteceu da seguinte forma: para melhorar a capacidade de conversa dos bots – também chamados de agentes de diálogo, aqueles programas que conversam automaticamente com as pessoas por meio dos chats do Messenger – os pesquisadores os colocaram para conversar entre si para treinar a maneira com a qual dialogam quando são utilizados de verdade.

A parte curiosa é que, após um determinado tempo de treino, a inteligência artificial começou a desenvolver – por conta própria – uma linguagem única que se distanciava das normas programadas originalmente. Isso fez com que os bots passassem a se comunicar por meio de um idioma completamente novo criado por eles mesmos.

Mark Zuckerberg fala sobre a inteligência artificial do Facebook

Conversando melhor

Tudo isso acabou acontecendo para que eles se comunicassem melhor, ou pelo menos de uma maneira que eles próprios consideraram melhor, sem os “obstáculos” da linguagem que foi programada para eles usarem. Ou seja: a inteligência artificial inventou um meio mais prático de conversar.

Isso certamente mostra um imenso avanço na evolução da inteligência artificial

Ainda não se sabe muito bem o que isso significa a longo prazo, portanto, não fique preocupado com a possibilidade do domínio das máquinas sobre a raça humana, como em tantas obras da ficção científica. Porém, isso certamente mostra um imenso avanço na evolução da inteligência artificial, cada vez mais assustadoramente perfeita.