Eles podem não ser tão comuns por aqui, mas os chatbots estão cada vez mais populares e inteligentes. Para quem ainda não sabe, essas ferramentas utilizam recursos como aprendizado de máquina e inteligência artificial para interagir com seres humanos como se fossem pessoas de verdade, auxiliando em compras ou encontrando informações sobre o tempo, por exemplo.

No geral, eles são bem simples, mas o Facebook acaba de apresentar um novo chatbot que pode mudar esse panorama. Isso porque ele utiliza uma série de informações para se portar como um ser humano real durante uma negociação, projetando os possíveis rumos da barganha a fim de alcançar os seus objetivos.

Os pesquisadores do Facebook AI Research criaram um mecanismo a partir de uma rede neural abastecida com informações gravadas em negociações realizadas entre humanos. Mas o bot pode ir além porque, mais do que apenas imitar, ele foi dotado com a capacidade de aprender por conta como alcançar determinados objetivos durante uma negociação.

Em suma, o bot tem a capacidade de projetar os caminhos possíveis de uma conversa, usando tais informações para descobrir qual a melhor abordagem a seguir. Dessa maneira, ele evita interlocuções confusas ou pouco informativas em prol de diálogos que vão fazê-lo alcançar o seu objetivo final — no caso, fechar um negócio.

Bot do Facebook aprendeu a negociar como um ser humano.

Sem humanos e como humanos

O mais curioso do novo chatbot do Facebook é que ele chegou a ser confundido com um humano de verdade durante os testes. Sem saber que interagiam com um programa de computador, as pessoas selecionadas para testar a nova ferramenta acreditavam estar interagindo com uma pessoa real.

Outro dado impressionante envolve o fato de que os bots inteligentes desenvolveram algumas estratégias de negociação por conta própria, sem qualquer interferência humana. Segundo o The Verge, eles apresentaram argumentações com elementos semelhantes à teoria dos jogos, especialmente ao dilema do prisioneiro.

Essas características parecem ter saído de contos e filmes de ficção científica, mas estão mais próximas de se tornarem realidade do que podemos imaginar. Apesar de ainda não se saber ao certo quando esses bots superinteligentes do Facebook estarão “nas ruas”, é fato que eles indicam uma evolução considerável em relação ao que os robôs de conversas são atualmente.