Um estudo realizado no Reino Unido pela Sociedade Real para Saúde Pública constatou que o Instagram e o Snapchat são as redes sociais que têm o maior potencial de prejudicar a saúde mental de adolescentes e jovens adultos. A pesquisa foi feita com 1,5 mil pessoas com idades entre 14 e 24 anos. Todos classificaram em um ranking as cinco principais redes sociais da atualidade de acordo com os sentimentos que elas provocam. Além de Snapchat e Instagram, Facebook, Twitter e YouTube foram as outras três plataformas em avaliação.

Shirley Cramer, líder da instituição que realizou o estudo, avaliou a presença do Instagram e do Snapchat nas piores posições explicando que isso tem a ver com o fato de as plataformas serem muito concentradas em fotos. “Ambas são muito focadas em imagens e parece que podem estar instigando sentimentos de inadequação e de ansiedade em pessoas jovens”, comentou.

No vídeo em inglês, é possível entender melhor essa afirmação, já que os jovens entrevistados comentam que Instagram e Snapchat podem fazer as pessoas se sentirem mal em relação ao seu corpo ou ainda inferiores frente à “vida perfeita” de algumas personalidades famosas nessas redes sociais.

Confira agora o ranking final:

  • 1. YouTube (mais positiva)
  • 2. Twitter
  • 3. Facebook
  • 4. Snapchat
  • 5. Instagram (mais negativa)

Segundo o estudo, a única plataforma entre as pesquisadas que inspirou mais sentimentos positivos do que negativos nos jovens entrevistados foi o YouTube, que normalmente é associado com aprendizado e entretenimento. Isso não é de fato uma surpresa considerando a natureza mais diversificada do YouTube.

É possível conferir o estudo completo em inglês através deste link.

Posicionamento do Instagram

"Manter o Instagram um lugar seguro e de apoio, onde todos se sentem confortáveis para se expressar é a nossa prioridade - especialmente quando se trata de jovens. Diariamente, pessoas do mundo todo utilizam o Instagram para compartilhar suas trajetórias pessoais em busca de saúde mental e obter apoio da comunidade. Queremos que as pessoas que precisam lidar com problemas de saúde mental possam encontrar no Instagram o apoio necessário a qualquer momento. Por isso, trabalhamos em parceria com especialistas para disponibilizar as ferramentas e informações necessárias para que as pessoas saibam como denunciar conteúdo, obter apoio para um amigo que está precisando ou entrar em contato diretamente com um especialista para pedir conselhos sobre uma questão com a qual eles estejam lidando” —Michelle Napchan, Líder de Políticas Públicas do Instagram na Europa, onde o estudo foi realizado.